PT-BA: ‘Moro assumiu posição de cabo eleitoral’

Interceptação telefônica ao ex-presidente Lula ordenada pelo juiz Sérgio Moro, que comanda a Operação Lava Jato, é vista como "instrumento de quem age com claras motivações de cunho político" pelo presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação; "É uma demonstração de que a atuação dele é política, não jurídica. Infelizmente, é um juiz que, como a Justiça não lhe permite filiação partidária, assumiu o papel de cabo eleitoral", diz Everaldo

Everaldo Anunciação
Everaldo Anunciação (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - A interceptação telefônica ao ex-presidente Lula ordenada pelo juiz federal de Curitiba Sérgio Moro, que comanda a Operação Lava Jato, é vista como "desrespeito à Constituição" pelo presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação.

Em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia, Everaldo diz que o juiz "age com claras motivações de cunho político".

"É uma demonstração de que a atuação dele é política, não jurídica. Infelizmente, é um juiz que, como a Justiça não lhe permite filiação partidária, assumiu o papel de cabo eleitoral. Isso é ruim para ele, para a instituição e para a democracia. Queremos que as coisas aconteçam dentro da lei para que a sociedade se sinta segura", ponderou Anunciação.

"A oposição ocupa uma estratégia para desgastar a figura de Lula, do PT e de Dilma para que em 2018 Lula não tenha condições de disputa", disse o presidente do PT baiano, apontando motivação político-partidária nas ofensivas da oposição.

O líder do PT na Câmara dos Deputados, o também baiano Afonso Florence, reforçou as críticas a Moro.

"Mais uma vez, o juiz errou feio juridicamente e se meteu na disputa política, desta vez com o agravante de incentivar a radicalização de setores exaltados entre os defensores do impeachment, jogando o país à beira de uma convulsão social. [...] Tudo isso deveria ter sido feito de acordo com o devido processo legal. Como envolve a presidente, tem segredo de Estado".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247