PT Ceará reúne executiva para definir agenda de mobilização

A executiva deve definir um calendário de luta para a eventualidade de uma prisão do ex-presidente Lula e para se preparar para enfrentar a perseguição ao partido e às conquistas sociais implementadas pelos governos petistas de Lula e Dilma, com mobilizações de rua. O presidente do PT, Fco. de Assis Diniz afirmou que a suposta prisão de Lula seria "um ato de violência e arbitrariedade, só possível em regimes ditatoriais e que o partido precisa estar preparado para reagir à altura"

A executiva deve definir um calendário de luta para a eventualidade de uma prisão do ex-presidente Lula e para se preparar para enfrentar a perseguição ao partido e às conquistas sociais implementadas pelos governos petistas de Lula e Dilma, com mobilizações de rua. O presidente do PT, Fco. de Assis Diniz afirmou que a suposta prisão de Lula seria "um ato de violência e arbitrariedade, só possível em regimes ditatoriais e que o partido precisa estar preparado para reagir à altura"
A executiva deve definir um calendário de luta para a eventualidade de uma prisão do ex-presidente Lula e para se preparar para enfrentar a perseguição ao partido e às conquistas sociais implementadas pelos governos petistas de Lula e Dilma, com mobilizações de rua. O presidente do PT, Fco. de Assis Diniz afirmou que a suposta prisão de Lula seria "um ato de violência e arbitrariedade, só possível em regimes ditatoriais e que o partido precisa estar preparado para reagir à altura" (Foto: Fatima 247)

A Comissão Executiva do PT do Ceará marcou reunião, no final da tarde de hoje para discutir uma agenda de mobilização e fazer um balanço do resultado eleitoral no estado.

O presidente do PT, Fco. de Assis Diniz se disse bastante preocupado com as última notícias veiculadas neste fim de semana, em blogs e redes sociais, sobre uma suposta prisão do ex-presidente Lula, que já teria sido decidida pelo juiz Sérgio Moro. De Assis afirmou que o partido vai estar preparado para qualquer eventualidade. "A prisão de Lula seria um ato de violência e arbitrariedade, só possível em regimes ditatoriais, mas hoje, no caos jurídico em que se encontra o Brasil, onde a Constituição não significa mais nada, tudo é possível. Por isso, precisamos estar preparados para reagir à altura". 

Sobre o resultado eleitoral do PT, o presidente afirmou que é importante uma avaliação e que o partido precisa considerar a questão sobre todos os ângulos, principalmente para se preparar para a continuidade da luta em defesa do seu legado e da sua história. "O cerco ao PT se fecha cada vez mais, a elite nunca nos engoliu e o golpe foi para nos exterminar. Mas, se olharmos o resultado eleitoral com a atenção que merece, sem nos deixarmos contaminar com as análises apressadas dos 'vendilhões de plantão', veremos que o PT ainda é a força política mais consistente do Brasil. 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247