PT faz reunião com TRF4 para discutir manifestações em julgamento de Lula

Presidente do TRF4, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, irá reunir-se com parlamentares do PT para discutir as ações de segurança que serão adotadas durante o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcado para o dia 24 de janeiro; reunião, que visa garantir a realização de atos em apoio a Lula, está marcada para a próxima sexta-feira (12); "Estamos avisando de antemão: estaremos de cara limpa. Não seremos os encapuzados", assegurou o deputado federal, Pepe Vargas, presidente do PT do Rio Grande do Sul

Presidente do TRF4, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, irá reunir-se com parlamentares do PT para discutir as ações de segurança que serão adotadas durante o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcado para o dia 24 de janeiro; reunião, que visa garantir a realização de atos em apoio a Lula, está marcada para a próxima sexta-feira (12); "Estamos avisando de antemão: estaremos de cara limpa. Não seremos os encapuzados", assegurou o deputado federal, Pepe Vargas, presidente do PT do Rio Grande do Sul
Presidente do TRF4, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, irá reunir-se com parlamentares do PT para discutir as ações de segurança que serão adotadas durante o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcado para o dia 24 de janeiro; reunião, que visa garantir a realização de atos em apoio a Lula, está marcada para a próxima sexta-feira (12); "Estamos avisando de antemão: estaremos de cara limpa. Não seremos os encapuzados", assegurou o deputado federal, Pepe Vargas, presidente do PT do Rio Grande do Sul (Foto: Paulo Emílio)

247 - O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, irá reunir-se com parlamentares do PT para discutir as ações de segurança que serão adotadas durante o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcado para o dia 24 de janeiro. A reunião, que visa garantir a realização de atos em apoio a Lula, está marcada para a próxima sexta-feira (12).

Para o presidente do PT do Rio Grande do Sul e deputado federal Pepe Vargas, o risco de confrontos durante o julgamento causa preocupação em função ad possibilidade de que adversários infiltrados possam causar problemas. "Estamos avisando de antemão: estaremos de cara limpa. Não seremos os encapuzados", assegurou.

O líder do PT na Câmara, deputado federal Paulo Pimenta, responsável pelo pedido de audiência, disse que a pauta da reunião com o presidente do TRF4 será limitada a questões administrativas. "Vamos falar sobre nosso ato. Não vamos tratar de processo. Não é conosco nem com ele", destacou.

No momento, a direção do PT está debruçada em definir qual estratégia será utilizada pela militância durante o julgamento. Para a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffman (PR), tanto os militantes do partido bem como os de movimentos populares, como a Frente Brasil Popular, devem se concentrar em seus estados de origem. Nos atos de Porto Alegre, as mobilizações ficariam a cargo dos militantes da Região Sul.

Ainda segundo ela, Lula esperaria o resultado do julgamento em São Bernardo do campo, junto da família. A estratégia, segundo ela, fortaleceria o ato na avenida Paulista, que deverá ser um dos maiores de todo o país.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247