“Reforma da previdência é desumana e criminosa“, diz Paulão

O deputado federal Paulão (PT-AL) afirmou que a bancada do partido está coesa na estratégia de luta contra a reforma da previdência desumana e criminosa do governo Michel Temer (PMDB); para ele, a proposta em andamento na Câmara representa mais um golpe do governo contra os trabalhadores, notadamente contra o trabalhador rural, as mulheres e a juventude

O deputado federal Paulão (PT-AL) afirmou que a bancada do partido está coesa na estratégia de luta contra a reforma da previdência desumana e criminosa do governo Michel Temer (PMDB); para ele, a proposta em andamento na Câmara representa mais um golpe do governo contra os trabalhadores, notadamente contra o trabalhador rural, as mulheres e a juventude
O deputado federal Paulão (PT-AL) afirmou que a bancada do partido está coesa na estratégia de luta contra a reforma da previdência desumana e criminosa do governo Michel Temer (PMDB); para ele, a proposta em andamento na Câmara representa mais um golpe do governo contra os trabalhadores, notadamente contra o trabalhador rural, as mulheres e a juventude (Foto: Voney Malta)

Por eassim.net - O deputado federal Paulão (PT) disse nesta segunda-feira, 14, que a bancada do partido está coesa na estratégia de luta contra a reforma da previdência desumana e criminosa do governo Michel Temer.
Segundo ele, a proposta em andamento na Câmara representa mais um golpe do governo, desta vez contra os trabalhadores, notadamente contra o trabalhador rural, as mulheres e a juventude.

Disse o deputado que a PEC enviada por Temer está eivada de injustiças. No caso do trabalhador rural, observou que o homem do campo vai trabalhar a vida inteira e chegará à morte sem ver chegar o dia da aposentadoria. "Ora, exigir que o homem do campo venha a contribuir por mais 10 anos com a previdência, após cumprir o rito da idade mínima de 65 anos é algo que só cabe na cabeça dos tiranos ou de burocratas que nunca valorizaram a atividade do trabalhador rural no seu dia a dia de dificuldades", disse o deputado.

Ainda segundo ele, a adoção da idade mínima de 65 anos para aposentadoria integral para homens e mulheres, 49 anos de tempo de contribuição para o benefício integral, regras de transição arbitrárias e sem fundamentação, inclusão dos professores e dos trabalhadores rurais na regra comum e ainda as imposições para às regras do auxílio-doença e da aposentadoria por invalidez "já demonstram claramente o desmonte do processo, as injustiças e arbitrariedades praticadas por esse governo esdrúxulo".

Paulão disse que a sociedade precisa estar atenta para esse debate e, sobretudo, os trabalhadores do País que são as maiores vítimas desta investida do governo contra os direitos e a proteção social do povo mais pobre do Brasil. "Vou lutar contra todo o tempo dentro da Câmara contra essa desumanidade", concluiu.

 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247