Região Noroeste ganha reforço na segurança

Governador Marconi Perillo lançou na Região Noroeste de Goiânia um programa pioneiro que prevê o entrosamento entre poder público e comunidade: o Pacto Social Pela Vida; Conferências Municipais de Segurança Pública vão atuar em 21 cidades da Região Metropolitana de Goiânia e do interior do Estado, onde concentram 89% dos crimes contra a vida e o patrimônio; Marconi afirmou que Goiás investiu este ano quase R$ 3 bilhões na área, garantindo infraestrutura para as Polícias Civil e Militar, que contam hoje com equipamentos de última geração e apoio de um complexo sistema de inteligência

Governador Marconi Perillo lançou na Região Noroeste de Goiânia um programa pioneiro que prevê o entrosamento entre poder público e comunidade: o Pacto Social Pela Vida; Conferências Municipais de Segurança Pública vão atuar em 21 cidades da Região Metropolitana de Goiânia e do interior do Estado, onde concentram 89% dos crimes contra a vida e o patrimônio; Marconi afirmou que Goiás investiu este ano quase R$ 3 bilhões na área, garantindo infraestrutura para as Polícias Civil e Militar, que contam hoje com equipamentos de última geração e apoio de um complexo sistema de inteligência
Governador Marconi Perillo lançou na Região Noroeste de Goiânia um programa pioneiro que prevê o entrosamento entre poder público e comunidade: o Pacto Social Pela Vida; Conferências Municipais de Segurança Pública vão atuar em 21 cidades da Região Metropolitana de Goiânia e do interior do Estado, onde concentram 89% dos crimes contra a vida e o patrimônio; Marconi afirmou que Goiás investiu este ano quase R$ 3 bilhões na área, garantindo infraestrutura para as Polícias Civil e Militar, que contam hoje com equipamentos de última geração e apoio de um complexo sistema de inteligência (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O governador Marconi Perillo lançou nesta quinta-feira, na Vila Finsocial, um programa pioneiro que prevê o entrosamento entre poder público e comunidade: o Pacto Social Pela Vida. A ação de governo prevê a realização de Conferências Municipais de Segurança Pública em 21 cidades da Região Metropolitana de Goiânia e do interior do Estado, onde concentram 89% dos crimes contra a vida e o patrimônio. A primeira Conferência do novo programa foi presidida pelo vice-governador e titular da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), José Eliton, em Trindade, e agora chega a Goiânia.

Na abertura da Conferência, o governador assinalou que é muito importante o envolvimento da comunidade e que serão realizadas ações, em conjunto com o poder público municipal, nas 50 maiores cidades do Estado. “É uma ação permanente”, disse, ao ressaltar a presença física das polícias nos bairros. Na Vila Finsocial serão realizadas, em 4 dias, 23 reuniões de grupos de trabalho com a comunidade local.

Ele observou que muitos generalizam ao falar de Segurança Pública, em função da sensação de medo. Segundo ele, Goiás investiu este ano quase R$ 3 bilhões na área, garantindo infraestrutura para as Polícias Civil e Militar, que contam hoje com equipamentos de última geração e apoio de um complexo sistema de inteligência. “O governo brasileiro também tem de investir em Segurança Pública”, reclamou Marconi. Também destacou que, no caso da região Noroeste de Goiânia, os investimentos do governo estadual não se limitam à Segurança Pública, mas também à infraestrutura, saneamento e saúde, como foi a construção do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol) e a construção de 600 quilômetros de rede de esgoto na região.

O vice-governador José Eliton destacou a importância do envolvimento da sociedade numa ação articulada com o poder público. Segundo ele, essa é a principal característica do Pacto Social Pela Vida. Em sua fala, José Eliton, que preside o pacto, explicou que o programa, coordenado pela Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária, une diferentes órgãos públicos, das esferas federal, estadual e municipal em torno de cinco grandes eixos de atuação: prevenção social; segurança cidadã, intervenção urbana e ambiental; inteligência e estratégia; e repressão qualificada. Trata-se da união de esforços entre os poderes executivo, legislativo e judiciário, além da sociedade civil, para coibir a criminalidade.

José Eliton reforçou ainda suas críticas ao sistema penitenciário nacional, insistindo na necessidade de mudanças jurídicas e reestruturação urgentes. Também defendeu o endurecimento da legislação penal, de forma a evitar a reincidência criminal. “Ninguém aguenta ver criminosos praticando crimes com a certeza da impunidade nesse País”, arrematou o vice-governador.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247