Relator de denúncia contra Temer recebeu R$ 8 mi em emendas

O deputado federal Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), anunciado como relator da denúncia contra Michel Temer na Câmara, recebeu R$ 8 milhões em emendas impositivas em junho e julho deste ano. O período coincide com as datas de tramitação da primeira denúncia contra Temer na Câmara. A época foi também a de maior autorização de empenhos de emendas para os parlamentares; em publicações nas redes sociais, Andrada já afirmou que críticas a Temer eram "desrespeitosas e sem concordância real com os fatos, visando prejudicar a imagem do Presidente da República"

O deputado federal Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), anunciado como relator da denúncia contra Michel Temer na Câmara, recebeu R$ 8 milhões em emendas impositivas em junho e julho deste ano. O período coincide com as datas de tramitação da primeira denúncia contra Temer na Câmara. A época foi também a de maior autorização de empenhos de emendas para os parlamentares; em publicações nas redes sociais, Andrada já afirmou que críticas a Temer eram "desrespeitosas e sem concordância real com os fatos, visando prejudicar a imagem do Presidente da República"
O deputado federal Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), anunciado como relator da denúncia contra Michel Temer na Câmara, recebeu R$ 8 milhões em emendas impositivas em junho e julho deste ano. O período coincide com as datas de tramitação da primeira denúncia contra Temer na Câmara. A época foi também a de maior autorização de empenhos de emendas para os parlamentares; em publicações nas redes sociais, Andrada já afirmou que críticas a Temer eram "desrespeitosas e sem concordância real com os fatos, visando prejudicar a imagem do Presidente da República" (Foto: Aquiles Lins)

Minas 247 - O deputado federal Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), anunciado como relator da denúncia contra Michel Temer na Câmara, recebeu R$ 8 milhões em emendas impositivas em junho e julho deste ano. O período coincide com as datas de tramitação da primeira denúncia contra Temer na Câmara. A época foi também a de maior autorização de empenhos de emendas para os parlamentares.

Como relator do caso, que também inclui os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), ele será responsável por elaborar um relatório a favor ou contra a peça do ex-procurador-geral Rodrigo Janot. A apresentação do documento acontecerá após as falas de membros da comissão e dos advogados dos acusados.

Em publicações nas redes sociais e em seu blog, Andrada já afirmou que a delação da JBS ao Ministério Público trouxe "insegurança jurídica ao país". O acordo de colaboração premiada dos executivos da empresa é justamente o ponto principal da denúncia contra Temer por obstrução da justiça.

Em outro texto dois dias após a rejeição da primeira denúncia em plenário, Andrada afirmou que críticas a Temer eram "desrespeitosas e sem concordância real com os fatos, visando prejudicar a imagem do Presidente da República".

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247