‘Reunião entre Temer e Cunha é o último grau de desmoralização do País’

Quem avalia é o ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro (PT) em referência ao encontro entre presidente interino, Michel Temer, e o deputado federal Eduardo Cunha (RJ), ambos do PMDB; a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto confirmou que a reunião aconteceu no domingo (26), em Brasília; "Se Temer realmente recebeu Cunha no Palácio chegamos ao último grau de desmoralização da Republica e o Ciro tem razão em dizer o que diz", disparou Tarso pelo Twitter; pré-candidato do PDT à presidência em 2018, Ciro havia dito que Temer é "chefe de quadrilha" e um "desastre completo"

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 29.05.13: Governador Tarso Genro grava o programa Mateando com o Governador. Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini
PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 29.05.13: Governador Tarso Genro grava o programa Mateando com o Governador. Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 - O ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro (PT) avalia que o sistema político chegou ao "último grau de desmoralização" após o encontro entre presidente interino, Michel Temer, e o deputado federal Eduardo Cunha (RJ), ambos do PMDB. A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto confirmou que a reunião aconteceu no domingo (26), em Brasília.

"Se Temer realmente recebeu Cunha no Palácio chegamos ao último grau de desmoralização da Republica e o Ciro tem razão em dizer o que diz", disparou Tarso pelo Twitter.

O petista citou o ex-ministro e pré-candidato do PDT para a eleição presidencial de 2018, Ciro Gomes (CE), em referência à declaração do pedetista de que Temer é "chefe da quadrilha". “Eu conheço Temer. É bandido. É chefe de quadrilha. Como pode ter um filho de 7 anos com patrimônio de R$ 2 milhões e ninguém questionar a origem? Imagina se fosse o Lula", afirmou Ciro, aos jornalistas Marcelo Godoy e Kiko Nogueira, no DCM na TVT (leia aqui).

Em outra ocasião, Ciro voltou a disparar contra Temer, ao classificar o peemedebista como "um desastre completo". "E está ferindo de morte a nossa jovem democracia", disse ele, na sexta-feira (24), durante evento em Goiás (veja aqui).

Cunha afirmou que, embora ele e Temer se falem "com regularidade", não houve encontro no domingo. Questionado pelo G1 sobre quando esteve pela última vez com o presidente interino, o parlamentar respondeu: "Isso não falarei". Depois ele foi confrontado com a informação da da assessoria do Planalto de que o encontro ocorreu no domingo. "Só que eu não confirmo", disse Cunha.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247