Rogério Correia: só conhecíamos a ponta do iceberg de Aécio

O deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) comentou neste domingo, 22, as novas denúncias contra o senador Aécio Neves (PSDB), principal articular do golpe parlamentar que arruinou a democracia no Brasil; "Denunciei muita coisa dele, mas ao que tudo indica era só uma ponta de iceberg. Em relação ao Cabral , o playboy não ficará em segundo. Desta vez e no quesito corrupção, vai ser o primeiro", disse Correia

O deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) comentou neste domingo, 22, as novas denúncias contra o senador Aécio Neves (PSDB), principal articular do golpe parlamentar que arruinou a democracia no Brasil; "Denunciei muita coisa dele, mas ao que tudo indica era só uma ponta de iceberg. Em relação ao Cabral , o playboy não ficará em segundo. Desta vez e no quesito corrupção, vai ser o primeiro", disse Correia
O deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) comentou neste domingo, 22, as novas denúncias contra o senador Aécio Neves (PSDB), principal articular do golpe parlamentar que arruinou a democracia no Brasil; "Denunciei muita coisa dele, mas ao que tudo indica era só uma ponta de iceberg. Em relação ao Cabral , o playboy não ficará em segundo. Desta vez e no quesito corrupção, vai ser o primeiro", disse Correia (Foto: Aquiles Lins)

Minas 247 - O deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) comentou neste domingo, 22, as novas denúncias contra o senador Aécio Neves (PSDB), principal articular do golpe parlamentar que arruinou a democracia no Brasil. 

"Denunciei muita coisa dele, mas ao que tudo indica era só uma ponta de iceberg. Em relação ao Cabral , o playboy não ficará em segundo. Desta vez e no quesito corrupção, vai ser o primeiro", disse Correia. 

Em depoimento à Polícia Federal, o empresário Joesley Batista afirmou que a JBS doou R$ 110 milhões ao tucano para que, em contrapartida, Aécio facilitasse os negócios da empresa caso conseguisse se eleger presidente (leia mais).

Em outra revelação que complica Aécio, o executivo Sérgio Andrade, acionista da Andrade Gutierrez, confirmou que um contrato de R$ 35 milhões firmado em 2010 entre a empreiteira e uma empresa de Alexandre Accioly tinha como objetivo repassar propina a Aécio (leia mais).

"Minas sofreu muito com ele. Hoje é um Estado quebrado com recuperação penosa. Pimentel que o diga!", afirmou Rogério Correia. "Os mineiros sabiam que ele era rolo puro, por isto Dilma venceu aqui e será nossa Senadora no lugar dele, que vai amargar o resto da vida na cadeia", diz ele. 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247