Samuel projeta oposição dividida até no 2º turno

Segundo o presidente do PMDB, três candidaturas (Vanderlan-PSB, Gomide-PT e Iris ou Friboi-PMDB) vão brigar entre si por uma vaga na disputa contra o candidato da base governista, provavelmente o governador Marconi Perillo (PSDB); neste processo, poderá haver fraturas irrecuperáveis; PT já é vitima de ataques do socialista Vanderlan e do peemedebista Sandro Mabel

Segundo o presidente do PMDB, três candidaturas (Vanderlan-PSB, Gomide-PT e Iris ou Friboi-PMDB) vão brigar entre si por uma vaga na disputa contra o candidato da base governista, provavelmente o governador Marconi Perillo (PSDB); neste processo, poderá haver fraturas irrecuperáveis; PT já é vitima de ataques do socialista Vanderlan e do peemedebista Sandro Mabel
Segundo o presidente do PMDB, três candidaturas (Vanderlan-PSB, Gomide-PT e Iris ou Friboi-PMDB) vão brigar entre si por uma vaga na disputa contra o candidato da base governista, provavelmente o governador Marconi Perillo (PSDB); neste processo, poderá haver fraturas irrecuperáveis; PT já é vitima de ataques do socialista Vanderlan e do peemedebista Sandro Mabel (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247 - A oposição em Goiás já teme um rompimento para o segundo turno. As palavras do presidente estadual do PMDB, Samuel Belchior, ao programa Papo Político, da CBN Goiânia, nesta terça-feira, mostram que o clima de animosidade entre as legendas oposicionistas é até maior do que delas diante do governador Marconi Perillo (PSDB).

A reunião de ontem entre PMDB e PT sinalizou que as duas legendas caminharão separadas no primeiro turno. A única possibilidade de o PT não lançar Antônio Gomide no próximo dia 29 está ligada à antecipação do nome do PMDB para o governo. Samuel diz que é impossível definir entre Júnior Friboi e Iris Rezende em menos de 15 dias.

Com Gomide candidato, Iris ou Friboi pelo PMDB e Vanderlan Cardoso (PSB) são três candidatos da oposição. Samuel avaliou na CBN que a oposição, em tese, briga por uma vaga para o segundo turno. O que deixa os três grupos expostos a ataques entre si. São três se engalfinhando para passar um que enfrentaria Marconi Perillo no segundo turno. Samuel teme que os atritos possam se tornar incontornáveis para viabilizar uma união na fase final.

O raciocínio do peemedebista tem lógica. Visto que a campanha nem começou e Vanderlan já torpedeou de críticas a gestão do prefeito Paulo Garcia (PT) em Goiânia. A tensão nacional entre PMDB e PT faz eco em Goiás. O deputado federal Sandro Mabel vive cobrando fidelidade do PT e sempre cutuca o partido. Seu nome é motivo de ojeriza entre os petistas.

Aparar todas essas arestas e promover a união entre os três polos de oposição seria uma tarefa árdua. Está aí o temor de Samuel Belchior. O que se sabe é que os petistas não apoiam a candidatura de Júnior Friboi e preferem Iris Rezende, que numa possível disputa na convenção não seria capaz derrotar em empresário.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email