Secretaria da Educação premia estudantes na Flica

Os estudantes da rede estadual participam de diferentes atividades na Flica (Festa Literária Internacional de Cachoeira), que acontece desta quinta-feira (13) a domingo (16); durante os três dias será realizada uma programação na Casa Educar para Transformar, que inclui exposições de obras de arte dos estudantes criados para os projetos de arte e cultura como Artes Visuais Estudantis (AVE) e o Educação Patrimonial e Artística (EPA); a Casa também abriga uma Tenda Literária, onde haverás discussões sobre obras de autores contemporâneos e atividades lúdicas como leituras de textos

Os estudantes da rede estadual participam de diferentes atividades na Flica (Festa Literária Internacional de Cachoeira), que acontece desta quinta-feira (13) a domingo (16); durante os três dias será realizada uma programação na Casa Educar para Transformar, que inclui exposições de obras de arte dos estudantes criados para os projetos de arte e cultura como Artes Visuais Estudantis (AVE) e o Educação Patrimonial e Artística (EPA); a Casa também abriga uma Tenda Literária, onde haverás discussões sobre obras de autores contemporâneos e atividades lúdicas como leituras de textos
Os estudantes da rede estadual participam de diferentes atividades na Flica (Festa Literária Internacional de Cachoeira), que acontece desta quinta-feira (13) a domingo (16); durante os três dias será realizada uma programação na Casa Educar para Transformar, que inclui exposições de obras de arte dos estudantes criados para os projetos de arte e cultura como Artes Visuais Estudantis (AVE) e o Educação Patrimonial e Artística (EPA); a Casa também abriga uma Tenda Literária, onde haverás discussões sobre obras de autores contemporâneos e atividades lúdicas como leituras de textos (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - A estudante Hellen Cristina Teixeira, 17 anos, do Colégio Estadual de Correntina, no extremo oeste do estado, saiu da cidade onde mora para viver uma experiência inesquecível na cidade de Cachoeira, no Recôncavo. Ela está entre os estudantes das escolas estaduais que apresentam suas expressões artísticas, musicais e obras literárias na Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica 2016), que acontece desta quinta-feira (13) a domingo (16).

Na abertura do evento, na Casa Educar Para Transformar, localizada no anfiteatro do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Hellen Cristina e mais 16 colegas de várias cidades da Bahia receberam notebooks de premiação pelo Concurso Festa Literária na Rede Estadual: 169 anos de Castro Alves, promovido pela Secretaria da Educação do Estado.

"Estou muito entusiasmada com esta festa, que vai enriquecer o meu conhecimento", diz Hellen. No seu cordel, a aluna fala, de forma simples, da vida de Castro Alves, mostrando o lado romântico do Poeta dos Escravos, "que gostava de escrever para as suas amadas".

O intérprete do seu cordel, o colega Wanderson de Jesus, 19 anos, fala com orgulho da homenagem ao poeta. "É muito legal estar aqui, porque a gente volta ao túnel do tempo e passa a viver o passado de Castro Alves. Além disso, é uma oportunidade maravilhosa de troca de experiências literárias".

Suellen Bittencourt, 15 anos, 2º ano no Colégio Estadual Demiro Vilas Boas, de São Miguel das Matas, na região centro sul, também foi premiada no concurso Castro Alves, com a crônica 'A Vingança'. Ela participa pela primeira vez da Flica, "uma experiência muito interessante. Ser premiada é um reconhecimento que nos incentiva a ler mais, a produzir mais. É uma emoção muito grande". O subsecretário estadual da Educação, Nildon Pitombo, afirmou que o concurso em homenagem a Castro Alves é uma comemoração "muito bem posta" na ocasião dos 169º aniversário de nascimento do poeta baiano.

"Quando falamos de Castro Alves, costumamos ver apenas o poeta político, defensor pleno dos direitos humanos e da liberdade. Mais do que isto, ele revela um lirismo na sua poesia, o que mexe com a sensibilidade de todos. É um prazer premiarmos os estudantes que despontam como revelações na Literatura. Mais prazeroso ainda é saber que estes jovens vêm da escola pública. De um modo em geral, tudo isto tem a ver com o currículo da escola e com a dimensão cultural que a escola vive", enfatizou Pitombo.

Outras atividades

Os estudantes da rede estadual participam de diferentes atividades na Flica 2016. Durante os três dias será realizada uma programação na Casa Educar para Transformar, que inclui exposições de obras de arte dos estudantes criados para os projetos de arte e cultura como Artes Visuais Estudantis (AVE) e o Educação Patrimonial e Artística (EPA). A Casa também abriga uma Tenda Literária, onde haverás discussões sobre obras de autores contemporâneos e atividades lúdicas como leituras de textos. Além disso, na oficina Retratos Estudantis, os participantes podem customizar camisas por meio da técnica de pintura conhecida como serigrafia.

A Casa Educar para Transformar abriga ainda os Saraus Literomusicais, quando os finalistas do Festival Anual da Canção Estudantil (Face/2015) soltam a voz cantando músicas de suas autorias e que são intercaladas com declamações de poesias e textos via o projeto Tempos de Arte Literária (TAL). Uma das novidades é a dança circular, momento em que os estudantes saem do local dançando pelas ruas da cidade.

Os estudantes também participam, na Praça 2 de Julho, da Mostra de Livros - Coleção Pactos de Leituras de autores baianos, do 1º Edital de Literatura Infantil. Neste cenário, as crianças conferem o Cantinho de leitura e contação de histórias. Confira a programação completa no Portal da Educação.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247