Sergipe registra maior crescimento na produção de grãos no Nordeste

Com pequena área territorial, Sergipe vem se destacando na produção de grãos do Nordeste; para a safra 2016/2017, a expectativa, conforme a Conab, é que o estado apresente variação positiva de 317,1%, a maior da região; em segundo  lugar está o Ceará, com 182,1%; em todo o Nordeste, o crescimento será de 85%

Com pequena área territorial, Sergipe vem se destacando na produção de grãos do Nordeste; para a safra 2016/2017, a expectativa, conforme a Conab, é que o estado apresente variação positiva de 317,1%, a maior da região; em segundo  lugar está o Ceará, com 182,1%; em todo o Nordeste, o crescimento será de 85%
Com pequena área territorial, Sergipe vem se destacando na produção de grãos do Nordeste; para a safra 2016/2017, a expectativa, conforme a Conab, é que o estado apresente variação positiva de 317,1%, a maior da região; em segundo  lugar está o Ceará, com 182,1%; em todo o Nordeste, o crescimento será de 85% (Foto: Leonardo Lucena)

Sergipe 247 - Com pequena área territorial, Sergipe vem se destacando na produção de grãos do Nordeste. Para a safra 2016/2017, a expectativa, conforme a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), é que o estado apresente variação positiva de 317,1%, a maior da região. Em segundo  lugar está o Ceará, com 182,1%.  Em todo o Nordeste, o crescimento será de 85%.

A pesquisa do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão ligado ao Banco do Nordeste que analisa dados da Conab, aponta que o aumento deve-se à melhoria climática, sem ocorrência de veranicos nos períodos mais importantes do ciclo das culturas, e à melhoria da produtividade nas culturas mais representativas. 

O maior crescimento ocorrerá na produção de feijão (111,2%), com previsão de produção de 714,6 mil toneladas. Nessa cultura, a Bahia é o quinto produtor nacional e maior da Região, com produção prevista de 283,8 mil toneladas, aumento de 106% em relação ao ano-safra anterior, quando registrou incremento de área de 15% e de produtividade de 79,6% (de 354 quilos por hectare para 635 quilos por hectare).

Para o secretário de Estado de Agricultura, Esmeraldo Leal, a boa perspectiva para a safra sergipana é fruto, também, do Programa Estadual de Distribuição de Sementes e Mecanização Agrícola desenvolvido pelo governo do Estado. Executado pela secretaria de Estado de Agricultura, com recursos do Fundo de Erradicação e Combate à Pobreza, e gerido pela secretaria da Inclusão, o Programa destinará, este ano, 730 toneladas de sementes (300 de milho, 100 de feijão e 330 de arroz) e 14.545 horas de trator para todo o estado, beneficiando 20 mil agricultores, somando R$ 3,89 milhões. Em horas de trator, serão 7.272 agricultores beneficiados, um investimento de R$1,6 milhão.

“O governo está em caravana levando sementes e material forrageiro. Já passamos pelos municípios do alto sertão, onde agricultor recebeu 40 quilos de sementes de milho e feijão. Temos o Dom Távora, a limpeza de barragens, assistência técnica da Emdagro, ou seja, a gestão oferece um conjunto de ações que fomentam a agricultura familiar, consequentemente, a economia local”, disse Esmeraldo Leal.

Governador em exercício, Belivaldo Chagas comemorou a noticia e ressaltou a política de desenvolvimento rural implementada pela gestão. “Fico muito feliz em constatar o crescimento de nosso setor agrícola. O fomento à agricultura familiar é uma preocupação constante do governador Jackson Barreto, que desenvolve um leque de ações visando o desenvolvimento do setor. Mesmo diante da crise, o Estado investe quase  R$ 4 milhões para a compra de sementes e de horas máquina, além das medidas de combate aso efeitos da seca como distribuição de água, recuperação de barragens, linha de crédito do Banese e distribuição de material forrageiro”, declarou Belivaldo, acrescentando que o Estado  distribuirá 6.142,5 toneladas de material forrageiro (silagem de milho) para 7.484 produtores rurais de 32 municípios sergipanos. 

O trabalho está disponível para consulta no endereço www.bnb.gov.br/diario-economico-2017 e também aponta incremento na produção de milho (93,1%), soja (89,3%), caroço de algodão (27,7%) e arroz (10%) na Região.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247