Servidores podem entrar em greve em agosto

Coordenado pelo Movimento de União dos Servidores Públicos (Musme), o funcionalismo público realiza mais um protesto, em frente ao Palácio Araguaia, com o objetivo cobrar o pagamento da data-base; o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe), Cleiton Pinheiro, adiantou que as entidades sindicais já estudam a deflagração de greve geral para o dia 9 de agosto, caso as negociações não avancem; "Se o governo não nos atender, não nos chamar para uma conversa, lá no Palácio mesmo vai ser definida a questão da greve geral. A gente vai colocar isso para a categoria e já tem uma data pré-estabelecida das assembleias. Sendo que dia 9 de agosto é o prazo limite, aí já seria greve", disse 

Coordenado pelo Movimento de União dos Servidores Públicos (Musme), o funcionalismo público realiza mais um protesto, em frente ao Palácio Araguaia, com o objetivo cobrar o pagamento da data-base; o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe), Cleiton Pinheiro, adiantou que as entidades sindicais já estudam a deflagração de greve geral para o dia 9 de agosto, caso as negociações não avancem; "Se o governo não nos atender, não nos chamar para uma conversa, lá no Palácio mesmo vai ser definida a questão da greve geral. A gente vai colocar isso para a categoria e já tem uma data pré-estabelecida das assembleias. Sendo que dia 9 de agosto é o prazo limite, aí já seria greve", disse 
Coordenado pelo Movimento de União dos Servidores Públicos (Musme), o funcionalismo público realiza mais um protesto, em frente ao Palácio Araguaia, com o objetivo cobrar o pagamento da data-base; o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe), Cleiton Pinheiro, adiantou que as entidades sindicais já estudam a deflagração de greve geral para o dia 9 de agosto, caso as negociações não avancem; "Se o governo não nos atender, não nos chamar para uma conversa, lá no Palácio mesmo vai ser definida a questão da greve geral. A gente vai colocar isso para a categoria e já tem uma data pré-estabelecida das assembleias. Sendo que dia 9 de agosto é o prazo limite, aí já seria greve", disse  (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - Coordenado pelo Movimento de União dos Servidores Públicos (Musme), o funcionalismo público realiza nesta terça-feira (5) mais um protesto, a partir das 16 horas, em frente ao Palácio Araguaia, com o objetivo cobrar o pagamento da data-base. O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe), Cleiton Pinheiro, adiantou que as entidades sindicais já estudam a deflagração de greve geral para o dia 9 de agosto, caso as negociações não avancem.

“Se o governo não nos atender, não nos chamar para uma conversa, lá no Palácio mesmo vai ser definida a questão da greve geral. A gente vai colocar isso para a categoria e já tem uma data pré-estabelecida das assembleias. Sendo que dia 9 de agosto é o prazo limite, aí já seria greve”, disse ele.

De acordo com o sindicalista, a finalidade do protesto "é chamar a atenção do governador [Marcelo Miranda] para que ele pense nos direitos dos servidores e chame os sindicatos para negociar e apresentar uma proposta". "E essa negociação já tem que vir com a data da implantação da data-base", afirmou. As declarações desta matéria foram concedidas ao site do Cleber Toledo.

O Sisepe acredita no resultado positivo do protesto. “A expectativa é que hoje a gente consiga fazer com que o governo chame para conversa e apresente algo que venha atender nossos direitos, que é o pagamento da data-base”, disse.

A Secretaria de Comunicação do Estado do Tocantins (Secom-TO) disse apenas que o governo está negociando. "Não há novidades depois da última reunião", afirmou a assessoria. Sobre o funcionamento dos órgãos públicos durante o protesto, a Secom não quis se manifestar. "Por enquanto está tudo normal. Só podemos nos posicionar após o movimento", concluiu.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247