Sine/MG empregou quase 150 mil em três meses

De janeiro a março deste ano, 147.561 trabalhadores foram encaminhados para vagas de emprego pelas unidades de atendimento ao trabalhador; atendimentos superaram 880 mil

Sine/MG empregou quase 150 mil em três meses
Sine/MG empregou quase 150 mil em três meses

Agência Minas - Naiara Tamires, de 15 anos, é estudante da 9ª série do ensino fundamental.  Apesar da pouca idade, a jovem, pensando no futuro, decidiu que já era a hora de fazer a sua carteira de trabalho. “Gostaria de ter começado a trabalhar mais cedo, mas acho que ainda está em tempo. Ainda mais agora que meu pai está desempregado. Minha mãe trabalha de doméstica e preciso ajudá-los”, explicou. Edivaldo Soares, de 40 anos, pai de Naiara, aprova a iniciativa da filha. “Estudei só até a 5ª série do ensino fundamental, mas trabalhei a minha vida inteira. Acho justo que minha filha queira ajudar em casa e fico muito orgulhoso. Durante três anos, trabalhei como gari numa empresa que terceiriza serviços de limpeza, mas infelizmente houve redução do quadro de pessoal e fui dispensado”, contou. Ainda segundo Edivaldo, o valor do seguro-desemprego é o que está garantindo o pagamento dos compromissos. “Já recebi a segunda parcela do seguro, mas gostaria de não estar utilizando. Ele vem salvando a minha família, mas acredito que saio daqui do Sine com boas chances de um emprego”, relata.

Histórias como essas acontecem todos os dias nas 134 unidades de atendimento ao trabalhador do Sistema Nacional de Emprego (Sine) do Estado. Segundo levantamento feito pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), somente no mês de março 46.559 trabalhadores se inscreveram no Programa Mais Emprego, em busca de uma vaga no mercado de trabalho.

Enquanto aguardava pelo atendimento, Marinho de Jesus Cândido, de 33 anos, casado e pai de três filhos, elogiava o sistema de agendamento do Sine. “Isso foi uma maravilha para a gente. Escolhi esta unidade, aqui no bairro Santa Efigênia, por ficar pertinho do Centro e ser mais acessível para mim. Vou ser atendido na hora marcada que escolhi. Isso é respeito”, elogiou. De posse da sua Carteira de Trabalho, o trabalhador, que estudou até primeiro ano do ensino médio, espera sua carta de encaminhamento para uma nova oportunidade de emprego. Apesar de estar trabalhando como auxiliar de logística há cinco meses, uma oportunidade para cobrador de coletivo, vista pela televisão, chamou a atenção do profissional. “A vaga é para cobrador. Como já trabalhei nessa função por sete meses quero tentar. Quanto mais, melhor, não é mesmo?”.

De acordo com o levantamento da Sete, de janeiro a março deste ano, 147.561 trabalhadores foram encaminhados para vagas de emprego pelas unidades de atendimento ao trabalhador do Sine. São jovens, adultos, homens e mulheres em busca da tão sonhada carteira de trabalho assinada. No primeiro trimestre deste ano, 10.823 (7.115 homens e 3.708 mulheres) ingressaram no mercado de trabalho. Desses, 3.751 estão na faixa etária de 18 a 24 anos.

Ainda segundo a análise, na avaliação do nível de escolaridade desses colocados no primeiro trimestre de 2013, 3.997 possuem ensino médio completo, enquanto outros 1.883 ainda não completaram. Outros 1.627 possuem o fundamental completo e 2.508 dos colocados não concluíram as primeiras séries. Colocados com superior incompleto são 481. Já os profissionais colocados com superior completo, especialização e doutorado, possuem menor participação com 252, 15 e 1, respectivamente.

Rafael Felix Pereira, de 28 anos, está entre os trabalhadores com ensino médio completo. Casado e pai de um menino, ele vai comemorar o 1º de Maio com a família. Há dois meses Rafael trabalha como vigilante em uma clínica odontológica. “Estou aqui para tirar a segunda via da minha carteira de trabalho, que estragou. Amanhã é um dia muito importante para todos nós trabalhadores. Conquistamos direitos que nos ajudam a sair do emprego informal, como o seguro-desemprego e o fundo de garantia. Temos que melhorar muito, mas depende de cada um. Estudei para ser vigilante, mas quero mais. O importante é nunca desistir. Se o trabalhador tem um objetivo, tem que lutar por ele”, afirmou.

De janeiro a março, 179.418 trabalhadores habilitaram o seguro-desemprego nas unidades de atendimento ao trabalhador do Sine e 68.577 requereram suas Carteiras de Trabalho e Previdência Social. Foram realizados 866.764 atendimentos nas 134 unidades do Sine no Estado, coordenadas pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247