Skaf diz que Banco Central está com 'preocupação errada'

Presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, criticou o corte de um ponto percentual na taxa Selic, feito nesta quarta-feira, 26, pelo Comitê de Política Econômica (Copom) do Banco Central. Com a decisão, a Taxa Selic ficou em 9,25% ; "O BC está com a preocupação errada; a inflação está sob controle. O que o Brasil precisa, no momento, é retomar o crescimento e gerar novos empregos. E isso só vai acontecer com juros mais baixos", disse o presidente da Fiesp

Presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, criticou o corte de um ponto percentual na taxa Selic, feito nesta quarta-feira, 26, pelo Comitê de Política Econômica (Copom) do Banco Central. Com a decisão, a Taxa Selic ficou em 9,25% ; "O BC está com a preocupação errada; a inflação está sob controle. O que o Brasil precisa, no momento, é retomar o crescimento e gerar novos empregos. E isso só vai acontecer com juros mais baixos", disse o presidente da Fiesp
Presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, criticou o corte de um ponto percentual na taxa Selic, feito nesta quarta-feira, 26, pelo Comitê de Política Econômica (Copom) do Banco Central. Com a decisão, a Taxa Selic ficou em 9,25% ; "O BC está com a preocupação errada; a inflação está sob controle. O que o Brasil precisa, no momento, é retomar o crescimento e gerar novos empregos. E isso só vai acontecer com juros mais baixos", disse o presidente da Fiesp (Foto: Aquiles Lins)

SP 247 - O presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, criticou o corte de um ponto percentual na taxa Selic, feito nesta quarta-feira, 26, pelo Comitê de Política Econômica (Copom) do Banco Central. Com a decisão, a Taxa Selic ficou em 9,25% (leia mais).

"Com queda de apenas 1 ponto porcentual na taxa, não há dúvida de que o Banco Central está reduzindo a Selic muito mais devagar do que poderia. Afinal, a inflação está em queda e, hoje, a projeção do mercado é de que encerre 2017 em 3,3%, mais do que 1 ponto percentual abaixo da meta de 4,5%. Além disso, a retomada do crescimento é fraca -segundo o boletim Focus, do próprio BC, o PIB deve crescer apenas 0,33% este ano-, e o emprego não está reagindo. Continuamos com 14 milhões de desempregados", diz Skaf em nota. 

"O BC está com a preocupação errada; a inflação está sob controle. O que o Brasil precisa, no momento, é retomar o crescimento e gerar novos empregos. E isso só vai acontecer com juros mais baixos", acrescentou o presidente da Fiesp. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247