Sobe número de mortes no final do ano no TO

A Polícia Rodoviária Federal registrou dez mortes, 54 ferimentos e 48 acidentes nas estradas de Tocantins durante operação realizada do dia 18 de dezembro de 2015 ao dia 3 de janeiro de 2016; no mesmo período do ano anterior oito pessoas morreram e 83 ficaram feridas

A Polícia Rodoviária Federal registrou dez mortes, 54 ferimentos e 48 acidentes nas estradas de Tocantins durante operação realizada do dia 18 de dezembro de 2015 ao dia 3 de janeiro de 2016; no mesmo período do ano anterior oito pessoas morreram e 83 ficaram feridas
A Polícia Rodoviária Federal registrou dez mortes, 54 ferimentos e 48 acidentes nas estradas de Tocantins durante operação realizada do dia 18 de dezembro de 2015 ao dia 3 de janeiro de 2016; no mesmo período do ano anterior oito pessoas morreram e 83 ficaram feridas (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - A Polícia Rodoviária Federal registrou dez mortes, 54 ferimentos e 48 acidentes nas estradas federais de Tocantins durante operação realizada do dia 18 de dezembro de 2015 ao dia 3 de janeiro de 2016. No mesmo período do ano anterior oito pessoas morreram e 83 ficaram feridas.

Ultrapassagens indevidas, falta de cinto de segurança e de capacete ,excesso de velocidade,  e embriaguez ao volante foram os alvos das fiscalizações da PRF.

Durante o ano de 2015 a PRF atendeu nas rodovias federais do Tocantins o total de 868 acidentes, nos quais 93 pessoas morreram e 746 ficaram feridas. No comparativo com 2014, houve redução tanto no número de mortes (­20%) como no na quantidade de feridos (­28%).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247