Tabaco em excesso e pobreza: o que ninguém conta sobre a vida de Karl Marx

A obsessão de Karl Marx em reunir suas ideias em O Capital o levou a se envolver em uma rotina insalubre para sua saúde física e emocional

www.brasil247.com - Karl Marx
Karl Marx (Foto: Reprodução/Wikipédia)


Agência Sputnik - Em agosto de 1849, exatamente 173 anos atrás, o filósofo alemão Karl Marx se exilou em Londres e começou a escrever 'O Capital' (1867), um dos maiores tratados políticos, econômicos e sociais da história. A Sputnik Mundo lembra como era a vida desse pensador de origem judaica naqueles anos.

"Estou assediado por tantas pragas quanto Jó, sem ter tanto medo de Deus", escreveu Karl Marx em 1858, quando esteve imerso por vários anos na tentativa de moldar sua obra-prima, hoje considerada a pedra angular do socialismo moderno.

Na biografia que escreveu sobre Marx, o historiador britânico Isaiah Berlin o descreve como uma espécie de rato de biblioteca.

Se não fossem os seguranças que o administravam porque o lugar estava para fechar, o alemão com filiação comunista provavelmente teria ficado para morar lá.

"Seu modo de vida consistia em visitas diárias à sala de leitura do Museu Britânico, onde normalmente ficava das nove da manhã até fechar às sete; a isso seguiam-se longas horas de trabalho noturno, durante as quais fumava incessantemente, algo que de um luxo a um analgésico essencial, isso afetou sua saúde permanentemente e o tornou propenso a ataques frequentes de doenças do fígado, às vezes acompanhadas de furúnculos e olhos inchados, que interferiam em seu trabalho, o esgotavam e irritavam e atrapalhavam seus meios nunca seguros de subsistência", diz Berlin.

A obsessão de Karl Marx em reunir suas ideias em O Capital o levou a se envolver em uma rotina insalubre para sua saúde física e emocional.

De acordo com Mason Currey em seu livro Everyday Rituals (Como os artistas trabalham, em tradução livre), de 2016, os primeiros anos do cientista político e economista foram marcados por extrema pobreza e tragédia pessoal: sua família foi obrigada a viver em condições sórdidas, entre dívidas que não terminavam e uma alta dependência do dinheiro enviado pelo amigo e colega de Marx, Friedrich Engels, que, por sua vez, obteve os recursos do que roubou do negócio têxtil de seu pai.

Marx nunca teve um emprego fixo, embora seja verdade que, em uma ocasião, desesperado pela situação econômica, ele se candidatou a um emprego em uma estação ferroviária inglesa, mas não foi aceito porque sua caligrafia era tão ruim a ponto de ser ilegível.

"Eu tenho que perseguir meu objetivo a todo custo e não devo permitir que a sociedade burguesa me transforme em uma máquina de fazer dinheiro [...]. Acho que ninguém com tão pouco dinheiro já escreveu em tanta proporção sobre o assunto [...] Tenho que perseguir meu objetivo a todo custo", escreveu Marx em 1859, de acordo com o livro de Currey.

Às vezes, a depressão o atacava e sua atividade intelectual diminuía, embora nunca parasse de escrever. Para ele, escrever era uma disciplina quase militar.

Os dias em Londres, embora fatídicos, também representaram para ele uma oportunidade de se livrar da perseguição política. Isso lhe permitiu ter maior clareza filosófica.

O problema é que um de seus métodos para reduzir o estresse era o tabaco.

Currey garante que Marx fumou tanto que bem se poderia dizer que o pensador sofria de um vício muito perigoso para alguém que estava "definhando rapidamente" e "absolutamente carente de habilidades administrativas".

"No final, foram duas décadas de sofrimento diário que levaram Marx a completar o primeiro volume de O Capital... E ele morreu antes que pudesse terminar os dois restantes", escreve Currey.

Os sintomas sofridos por Marx eram diversos, quase todos relacionados a uma possível insuficiência hepática. Dores de cabeça e dores reumáticas eram seu pão de cada dia.

E a tudo isso se deve acrescentar a insônia, distúrbio que o filósofo combateu com o consumo de entorpecentes, segundo Isaiah Berlin.

Na biografia escrita por Werner Blumenberg, é explicado que a dieta do pai do socialismo moderno não era muito saudável. Ele quase nunca comia frutas ou legumes e quase sempre comia alimentos como peixe defumado e pepino em conserva.

Ele também tinha o hábito de beber álcool e fumar charutos de "má qualidade" devido às suas constantes crises econômicas.

Seus furúnculos ficaram tão graves que ele "não conseguia sentar, nem andar, nem ficar de pé".

Em 1881, sua esposa Jenny morreu, e ele afundou em uma profunda depressão. Ele já havia publicado a primeira parte de O Capital, mas também já havia perdido três de seus seis filhos. Marx morreu em 14 de março de 1883, sofrendo de bronquite e inflamação nos pulmões.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email