Teixeira sobre Paulo Preto, operador do PSDB: foi blindado pela Lava Jato

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) criticou o fato de ex-presidente da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, ainda estar solto; ele tinha R$ 113 milhões em contas na Suíça/ "Paulo Preto, o único com conta na Suíça e blindado pela Lava Jato, não foi preso. O operador tucano foi denunciado, pelo Ministério Público suíço, há meses. Ele tem conta ilegal em banco suíço com R$ 113 milhões depositados", escreveu o parlamentar em sua conta no Twitter

Teixeira sobre Paulo Preto, operador do PSDB: foi blindado pela Lava Jato
Teixeira sobre Paulo Preto, operador do PSDB: foi blindado pela Lava Jato (Foto: Esq.: Lúcio Bernardo Junior / Dir.: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) criticou o fato de ex-presidente da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, ainda estar solto. Ele tinha R$ 113 milhões em contas na Suíça.

"Paulo Preto, o único com conta na Suíça e blindado pela Lava Jato, não foi preso. O operador tucano foi denunciado, pelo Ministério Público suíço, há meses. Ele tem conta ilegal em banco suíço com R$ 113 milhões depositados", escreveu o parlamentar em sua conta no Twitter.

A descoberta aconteceu da conta no país europeu, após uma decisão de outubro passado da juíza Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara da Justiça Federal em São Paulo, que foi anexada ao inquérito no Supremo Tribunal Federal pela defesa de Paulo Preto.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247