Temer se encontra com Yunes e Skaf fora da agenda: “bate papo entre amigos”

jornalista Andrea Sadi informa em seu blog que Michel Temer se encontrou em São Paulo, fora da agenda, o autodenominado "mula" de Eliseu Padilha, José Yunes, e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que foi candidato a governador em 2014 e recebeu, segundo o doleiro Lúcio Funaro, dinheiro não contabilizado para sua campanha; Yunes confirmou o encontro, ocorrido na sexta-feira. "Foi um bate papo ameno e despretensioso entre amigos antigos", afirmou

jornalista Andrea Sadi informa em seu blog que Michel Temer se encontrou em São Paulo, fora da agenda, o autodenominado "mula" de Eliseu Padilha, José Yunes, e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que foi candidato a governador em 2014 e recebeu, segundo o doleiro Lúcio Funaro, dinheiro não contabilizado para sua campanha; Yunes confirmou o encontro, ocorrido na sexta-feira. "Foi um bate papo ameno e despretensioso entre amigos antigos", afirmou
jornalista Andrea Sadi informa em seu blog que Michel Temer se encontrou em São Paulo, fora da agenda, o autodenominado "mula" de Eliseu Padilha, José Yunes, e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que foi candidato a governador em 2014 e recebeu, segundo o doleiro Lúcio Funaro, dinheiro não contabilizado para sua campanha; Yunes confirmou o encontro, ocorrido na sexta-feira. "Foi um bate papo ameno e despretensioso entre amigos antigos", afirmou (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do Diário do Centro do Mundo - A jornalista Andrea Sadi informa em seu blog que Michel Temer se encontrou em São Paulo, fora da agenda, o autodenominado "mula" de Eliseu Padilha, José Yunes, e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que foi candidato a governador em 2014 e recebeu, segundo o doleiro Lúcio Funaro, dinheiro não contabilizado para sua campanha.

"Ainda houve uma entrega de R$ 500 mil, a pedido de Cunha para a campanha do Paulo Skaf ao governo de São Paulo, em um escritório na Avenida 9 de Julho em São Paulo, para Duda Mendonça para atender o presidente Temer", disse Funaro, em seu depoimento como colaborador da Justiça.

Yunes confirmou o encontro, ocorrido na sexta-feira. "Foi um bate papo ameno e despretensioso entre amigos antigos", afirmou.

Naturalmente não falaram os crimes de que são acusados e, mesmo se falassem ou até conspirassem para obstruir a Justiça, Temer tem alvará de impunidade até 31 de dezembro do ano que vem, conquistado junto a deputados brasileiros.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247