TJ vai intermediar negociação entre militares e governo

O Tribunal de Justiça (TJ) de Alagoas acatou pedido feito por representantes de associações militares para que a corte passe a intermediar a negociação de reajuste salarial anual para a categoria com o governo de Alagoas; condução dos trabalhos será da equipe que integra o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (NJUS/AL)

O Tribunal de Justiça (TJ) de Alagoas acatou pedido feito por representantes de associações militares para que a corte passe a intermediar a negociação de reajuste salarial anual para a categoria com o governo de Alagoas; condução dos trabalhos será da equipe que integra o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (NJUS/AL)
O Tribunal de Justiça (TJ) de Alagoas acatou pedido feito por representantes de associações militares para que a corte passe a intermediar a negociação de reajuste salarial anual para a categoria com o governo de Alagoas; condução dos trabalhos será da equipe que integra o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (NJUS/AL) (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - O presidente do Tribunal de Justiça (TJ) de Alagoas, desembargador Otávio Leão Praxedes, acatou pedido feito por representantes de associações militares para que a corte passe a intermediar a negociação de reajuste salarial anual para a categoria com o Governo do Estado.

A condução dos trabalhos será da equipe que integra o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (NJUS/AL).

A solicitação por meio de ofício foi feita pelos respectivos presidentes da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal), da Associação dos Subtenentes e Sargentos Militares de Alagoas (Assmal), da Associação dos Oficiais da Reserva e Reformados da Polícia e Corpo de Bombeiros de Alagoas (Assorpobom) e da União dos Policiais e Bombeiros Militares de Alagoas (UPM). 

Os representantes fizeram o apelo para intermediação do TJ/AL nas negociações da revisão anual geral dos subsídios dos militares junto ao Governo do Estado com base no que ficou decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Para deferir o pedido, o desembargador-presidente do Poder Judiciário de Alagoas, Otávio Praxedes, considerou justamente a decisão tomada pela Suprema Corte e os pareceres expedidos pelos juízes Maurício Brêda e Ygor Figueirêdo, auxiliares da presidência. 

A partir de agora, a negociação salarial dos militares de Alagoas será intermediada pelo NJUS, que é instalado pelo Tribunal de Justiça. 

Com gazetaweb.com

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247