Uncisal: Justiça anula vestibular e suspende matrículas

Dirigentes da Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal), após decisão judicial, suspenderam as matrículas dos aprovados no vestibular 2018; também foi tornado nulo o resultado do vestibular até que sejam prestadas informações a respeito da divulgação de duas listas de aprovados; é que o primeiro resultado foi anulado após a empresa responsável pela realização do vestibular, o Instituto OACP, ter detectado erros nos cálculos das notas gerados por um problema técnico 

Dirigentes da Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal), após decisão judicial, suspenderam as matrículas dos aprovados no vestibular 2018; também foi tornado nulo o resultado do vestibular até que sejam prestadas informações a respeito da divulgação de duas listas de aprovados; é que o primeiro resultado foi anulado após a empresa responsável pela realização do vestibular, o Instituto OACP, ter detectado erros nos cálculos das notas gerados por um problema técnico 
Dirigentes da Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal), após decisão judicial, suspenderam as matrículas dos aprovados no vestibular 2018; também foi tornado nulo o resultado do vestibular até que sejam prestadas informações a respeito da divulgação de duas listas de aprovados; é que o primeiro resultado foi anulado após a empresa responsável pela realização do vestibular, o Instituto OACP, ter detectado erros nos cálculos das notas gerados por um problema técnico  (Foto: Voney Malta)

Por gazetaweb.com - Após decisão da Justiça, a Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal) suspendeu, na manhã desta segunda-feira (29), as matrículas dos aprovados no vestibular 2018. A liminar foi concedida pelo juiz plantonista Emanuel Dória no domingo (28) e a unidade de ensino foi notificada hoje pela manhã.

De acordo com a assessoria de comunicação da Uncisal, as matrículas estão suspensas até segunda ordem. O reitor, Henrique de Oliveira Costa, ainda vai analisar a situação antes de um posicionamento mais aprofundado sobre o caso. 

Além da suspensão, a decisão judicial também tornou nulo o resultado do vestibular  até que sejam prestadas informações a respeito da divulgação de duas listas de aprovados. A ação foi impetrada pelo advogado Pedro Accioly, que representa um grupo de 20 estudantes aprovados no primeiro listão.

Segundo ele, os jovens questionam o segundo resultado. "Alguns não tiveram o benefício dos 5% a mais na pontuação por terem estudado a vida inteira em escolas alagoanas. Outros que estavam na lista de cotas não aparecem mais. Nós precisamos de esclarecimentos", argumentou. 

Na decisão, o juiz Emanuel Dória notificou a autoridade responsável, no caso a Uncisal, solicitando que no prazo estabelecido por lei a instituição preste as informações necessárias. A universidade deve apresentar os critérios de correção, bem como as provas realizadas pelos alunos.

Entenda o caso

A confusão com relação ao vestibular 2018 da Uncisal diz respeito à divulgação de duas listas de aprovados. O primeiro resultado, porém, foi anulado após a empresa responsável pela realização do vestibular, o Instituto OACP, ter detectado erros nos cálculos das notas

Eles alegam que um problema técnico gerou a situação. O novo listão foi divulgado no dia 24 e boa parte dos vestibulandos aprovados no primeiro momento acabou ficando de fora do número de vagas. O curso de Medicina foi o mais afetado.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247