(Vídeo) Mulher que se diz serva de Deus é presa por homofobia após agredir atendente: "veado não entra no céu"

Uma mulher de 42 anos, que se dizia serva de Deus, foi presa após agredir um atendente numa rodoviária de Lucas do Rio Verde (MT). O rapaz foi orientá-la depois que ela violou recomendações de distanciamento social. "Veadinho, bicha, odeio veado, vou te matar e veado não entra no céu", disse

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Uma mulher de 42 anos, que se dizia serva de Deus, foi presa nesse domingo (28), dia do Orgulho LGBTQ+, pelos crimes de homofobia, ameaça, dano, injúria mediante preconceito, lesão corporal e tráfico de influência. O caso aconteceu em Lucas do Rio Verde, a 360 quilômetros de Cuiabá (MT).

"Veadinho, bicha, odeio veado, vou te matar e veado não entra no céu", afirmou ela, após o rapaz orientá-la sobre as recomendações de distanciamento social por causa do coronavírus.

A mulher quebrou máquinas de cartão, teclado, o monitor de um computador,  cones, o celular de um mototaxista, além do balcão da agência. 

Policiais foram acionados e a suspeita foi conduzida à Central de Flagrantes.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247