Wagner: delatora de 'caixa 2' é "ladra e marginal"

Governador da Bahia detonou delatora de suposto esquema de desvio de dinheiro do Instituto Brasil, Dalva Sele Paiva, de que a ONG servia para desviar dinheiro para formação de caixa 2 para campanhas do PT; "Ela efetivamente é uma ladra e é réu confessa, porque ela colocou lá (em denúncia publicada pela revista Veja) que roubava. Até agora só tem uma marginal nessa história, só tem uma pessoa fora da lei: ela, que já está sendo investigada pelo Ministério Público estadual, tem 17 processos"

Governador da Bahia detonou delatora de suposto esquema de desvio de dinheiro do Instituto Brasil, Dalva Sele Paiva, de que a ONG servia para desviar dinheiro para formação de caixa 2 para campanhas do PT; "Ela efetivamente é uma ladra e é réu confessa, porque ela colocou lá (em denúncia publicada pela revista Veja) que roubava. Até agora só tem uma marginal nessa história, só tem uma pessoa fora da lei: ela, que já está sendo investigada pelo Ministério Público estadual, tem 17 processos"
Governador da Bahia detonou delatora de suposto esquema de desvio de dinheiro do Instituto Brasil, Dalva Sele Paiva, de que a ONG servia para desviar dinheiro para formação de caixa 2 para campanhas do PT; "Ela efetivamente é uma ladra e é réu confessa, porque ela colocou lá (em denúncia publicada pela revista Veja) que roubava. Até agora só tem uma marginal nessa história, só tem uma pessoa fora da lei: ela, que já está sendo investigada pelo Ministério Público estadual, tem 17 processos" (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News

Bahia 247 - O governador Jaques Wagner detonou a delatora de suposto esquema de desvio de dinheiro do Instituto Brasil, Dalva Sele Paiva, de que sua ONG servia para desviar dinheiro para formação de caixa 2 para campanhas do PT, inclusive a do candidato do partido ao governo do Estado, Rui Costa, que foi postulante a deputado federal em 2006.

"Ela efetivamente é uma ladra e é réu confessa, porque ela colocou lá (em denúncia publicada pela revista Veja) que roubava. Para desculpar o que roubava, ela está dizendo que deu dinheiro para A, para B, para C, aí eu não sei. Ela tem que provar, aonde ela deu", disse Wagner em entrevista ao Blog do Anderson.

E o governador continuou: "Até agora só tem uma marginal nessa história, só tem uma pessoa fora da lei: ela, que já está sendo investigada pelo Ministério Público estadual, tem 17 processos e estranhamente, exatamente quando sai essa publicação de uma revista que se especializou em falar mal do PT, porque não gosta da gente, porque a gente governa para os mais carentes e não só para os barões, estranhamente essa mulher pagou dois anos de condomínio atrasado, comprou passagem para ela e um filho viajarem para Europa e por aí vai".

Jaques Wagner disse ainda que não é surpresa que Dalva Sele esteja sendo investigada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), por ela ser uma "trambiqueira" que "fazia prestação de contas com nota falsa".

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email