Wagner minimiza ‘favoritismo’ de ACM Neto

O ex-ministro Jaques Wagner minimiza a euforia dos aliados do prefeito ACM Neto por seu suposto favoritismo para as eleições de outubro próximo, quando ele tentará se reeleger; "Eu acho que a Bahia e o Brasil já aprenderam que eleição se define a 15 ou 20 dias do pleito. Pesquisas agora estão muito distantes da realidade. O governador tem uma avaliação ótima aqui na capital", disse Jaques Wagner; ele fala com propriedade sobre o assunto, pois já viu o resultado das pesquisas contradito nas urnas três vezes, em suas duas eleições (2006 e 2010) e na eleição do governador Rui Costa, seu sucessor, em 2014

O ex-ministro Jaques Wagner minimiza a euforia dos aliados do prefeito ACM Neto por seu suposto favoritismo para as eleições de outubro próximo, quando ele tentará se reeleger; "Eu acho que a Bahia e o Brasil já aprenderam que eleição se define a 15 ou 20 dias do pleito. Pesquisas agora estão muito distantes da realidade. O governador tem uma avaliação ótima aqui na capital", disse Jaques Wagner; ele fala com propriedade sobre o assunto, pois já viu o resultado das pesquisas contradito nas urnas três vezes, em suas duas eleições (2006 e 2010) e na eleição do governador Rui Costa, seu sucessor, em 2014
O ex-ministro Jaques Wagner minimiza a euforia dos aliados do prefeito ACM Neto por seu suposto favoritismo para as eleições de outubro próximo, quando ele tentará se reeleger; "Eu acho que a Bahia e o Brasil já aprenderam que eleição se define a 15 ou 20 dias do pleito. Pesquisas agora estão muito distantes da realidade. O governador tem uma avaliação ótima aqui na capital", disse Jaques Wagner; ele fala com propriedade sobre o assunto, pois já viu o resultado das pesquisas contradito nas urnas três vezes, em suas duas eleições (2006 e 2010) e na eleição do governador Rui Costa, seu sucessor, em 2014 (Foto: Romulo Faro)

Romulo Faro/Bahia 247 - O ex-ministro Jaques Wagner minimiza a euforia dos aliados do prefeito ACM Neto (DEM) por seu suposto favoritismo para as eleições de outubro próximo, quando ele tentará se reeleger. "Eu acho que a Bahia e o Brasil já aprenderam que eleição se define a 15 ou 20 dias do pleito.
Pesquisas agora estão muito distantes da realidade. O governador tem uma avaliação ótima aqui na capital", disse Jaques Wagner.

Ele fala com propriedade sobre o assunto, pois já o resultado das pesquisas contradito nas urnas três vezes, em suas duas eleições (2006 e 2010) e na eleição do governador Rui Costa, seu sucessor.

Às vésperas da votação em 2014, as pesquisas apontavam vitória do ex-governador Paulo Souto (DEM) no primeiro turno, com larga vantagem. Mas quando as urnas foram apuradas, Rui saiu vitorioso (no primeiro turno). O petista era o último colocado nas pesquisas até um mês antes das eleições.

Wagner disse também que os partidos de oposição a ACM Neto devem definir se terá chapa única e/ou suas candidaturas ainda nesta semana.

"Estamos na reta final, já tem uma decisão até agora mantida de não ter candidato do PT e a gente está diretamente conversando com Lídice e com Alice. Eu não estou envolvido particularmente, essa discussão está a cargo do diretório estadual do partido, do próprio governador e eu creio que essa semana tem que se ter uma decisão final".

A senadora Lídice da Mata (PSB) e a deputada federal Alice Portugal (PC do B) disputam o apoio do PT, que além do governador, tem o maior tempo de propaganda na televisão entre os partidos de oposição ao prefeito.

Mais contida, Lídice afirma que ainda não há definição sobre sua candidatura. Já Alice e o PCdoB dizem que sua candidatura independe de acordo para chapa única das oposições.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247