Vamos organizar um modo de vida mais modesto, defende Slavoj Žižek

"Se observarmos as coisas da distância certa (o que é muito difícil), poderemos prever um número relativamente baixo de mortes, e nossa sociedade global terá recursos suficientes para coordenar nossa sobrevivência e organizar um modo de vida mais modesto", diz o filósofo

www.brasil247.com - “Comunismo ou lei da selva”, proclama o filósofo Slavoj Zizek.
“Comunismo ou lei da selva”, proclama o filósofo Slavoj Zizek. (Foto: Reuters)


Por Slavoj Žižek, no El País – Há algo errado com a severa imposição de confinamento, e não apenas no sentido em que o estado explora a epidemia para impor controle total. Acredito cada vez mais que um tipo de ato simbólico supersticioso está envolvido em tudo isso. Como a verdade é que não sabemos bem como tudo isso funciona, se fizermos um gesto duro de sacrifício que realmente machuca e paralisa nossa vida social, talvez possamos esperar misericórdia. O que é surpreendente é quão pouco parece que entendemos (incluindo cientistas) como a epidemia se comporta. Muitas vezes recebemos avisos conflitantes das autoridades. Recebemos ordens estritas para nos limitarmos a evitar a infecção viral, mas quando o número de infecções diminui, surge o medo de que tudo o que podemos fazer seja tornar-se mais vulnerável durante a segunda onda esperada do ataque do vírus. Todas as esperanças de uma saída rápida (calor do verão, imunidade de grupo, vacina) são frustradas.

Há uma coisa que está clara: durante um confinamento, vivemos com antigas reservas de alimentos e outras provisões. Portanto, agora a tarefa árdua é sair do confinamento e inventar uma nova vida marcada pelo vírus. Devemos mudar nosso imaginário e parar de esperar por um pico grande e bem definido, após o qual as coisas voltarão ao normal. Nem mesmo a catástrofe total acabou de aparecer, a situação está se prolongando cada vez mais. Somos informados de que alcançamos o achatamento da curva, então tudo está indo um pouco melhor, mas ... a crise está ficando cada vez mais longa. O desejo secreto de todos nós, e o que pensamos sem parar, é um: quando isso vai acabar? Quando isso aconteceu? É razoável ver na epidemia atual o anúncio de um novo período de problemas ecológicos. Em 2017, a BBC descreveu o que poderia nos esperar como resultado de nossa maneira de intervir na natureza: "As mudanças climáticas estão derretendo o permafrost, congelado há milhares de anos, e, à medida que os solos se derretem, eles liberam vírus antigos que, permanecendo adormecidos, estão ressurgindo para a vida ".

Isso significa que nossa situação é desesperadora? Absolutamente não. Se observarmos as coisas da distância certa (o que é muito difícil), poderemos prever um número relativamente baixo de mortes, e nossa sociedade global terá recursos suficientes para coordenar nossa sobrevivência e organizar um modo de vida mais modesto, no qual a escassez de comida é compensada pela cooperação em escala global e na qual temos um sistema de saúde global mais bem preparado para os seguintes ataques. Seremos capazes de fazer isso?

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email