Viúva do indigenista Bruno Araújo Pereira diz esperar retratação de Bolsonaro, Mourão e da Funai

Beatriz Matos disse que Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão e o presidente da Funai, Marcelo Xavier, fizeram "declarações absurdas" sobre o assassinato Bruno Pereira

www.brasil247.com - Antropóloga Beatriz Matos
Antropóloga Beatriz Matos (Foto: Reprodução)


247 - Viúva do indigenista Bruno Araújo Pereira, assassinado na Amazônia, a antropóloga Beatriz Matos disse que Jair Bolsonaro (PL), o vice-presidente Hamilton Mourão e o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Xavier, deveriam "se retratar por declarações absurdas que fizeram". Ela participou de uma audiência pública no Senado nesta quinta-feira (12). 

"A família não recebeu uma palavra, a gente não teve nenhum apoio. O Bruno era um funcionário público muito comprometido com o trabalho, por isso que os servidores da Funai estão em greve. O presidente acusa o funcionário, ao invés de tomar pra si a indignação", disse. As declarações foram publicadas nesta quarta pelo portal G1

Os corpos do indigenista Bruno Araújo e do jornalista britânico Dom Phillips foram encontrados em 15 de junho. Dez dias antes a dupla desapareceu em um trajeto pelo Vale do Javari, na Amazônia. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quatro pessoas foram presas suspeitas de envolvimento no crime.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email