A gasolina tá cara? Compre um carro elétrico, sugere jornal O Globo

Jornal que apoiou o golpe de estado de 2016 sugere que brasileiros comprem carros elétricos. O mais barato custa R$ 165 mil

www.brasil247.com - A família Marinho e uma plataforma de petróleo
A família Marinho e uma plataforma de petróleo (Foto: Divulgação | Reuters)


247 – O jornal O Globo, que apoiou o golpe de estado de 2016, que teve como objetivo central mudar a política de preços da Petrobrás, de modo a penalizar toda a sociedade brasileira para favorecer acionistas privados da Petrobrás, fez uma proposta inusitada: a de que os brasileiros troquem carros a gasolina pelo carro elétrico.

"A alta do preço do petróleo no mercado internacional — que já  chegou a se aproximar dos US$ 140 — e a do combustível nas bombas, com a gasolina a R$ 8, pode incentivar a eletrificação da frota no país. O mais recente reajuste da Petrobras elevou o valor cobrado pela gasolina na refinaria em 18,77% e o do diesel, em 24,9%. Boa parte desse aumento já chegou ao bolso do consumidor. Para especialistas, o cenário pode funcionar como um empurrão a mais para fazer deslanchar o crescimento da frota de carros elétricos no país ou de veículos híbridos, que funcionam à base de eletrificação ou combustão", aponta reportagem do jornal.

"Mas se o preço do combustível assusta, é preciso estar disposto a investir para voltar para casa em um veículo eletrificado. Em relatório divulgado no mês passado, analistas do Credit Suisse destacam que o modelo BEV, como são conhecidos os veículos 100% elétricos, mais barato disponível para a venda no Brasil custa cerca de 130 a 135 vezes o salário mínimo mensal. Embora a longo prazo o custo compense, a diferença de preço entre os modelos elétricos e aqueles a combustão ainda é imensa. Enquanto um carro de entrada flex custa cerca de R$ 65 mil, o carro 100% elétrico mais barato disponível no Brasil, o JAC EJSI, custa R$ 165 mil", lembra ainda o repórter.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A proposta ecoou a fala de Maria Antonieta, antes da Revolução Francesa. "Não tem pão? Comam brioches". Confira a reação do economista Uallace Moreira:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email