Centrão de Temer e Cunha, agora com Alckmin, continua dono da bola

Análise é do jornalista Ricardo Kotscho, que destaca que, para esses partidos, "tanto faz programa de governo ou de partido, ideologia, projeto para o país. Pouco importa quem seja o presidente, desde que eles possam dividir o butim e faturar sempre mais. Nem fazem questão de lançar candidato"

Centrão de Temer e Cunha, agora com Alckmin, continua dono da bola
Centrão de Temer e Cunha, agora com Alckmin, continua dono da bola
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em novo texto publicado em seu blog, o jornalista Ricardo Kotscho observa que o Centrão, que se aliou a Michel Temer e Eduardo Cunha, participando do golpe de 2016, e agora está com Geraldo Alckmin, continua o dono da bola, comandando o país.

"Para eles, tanto faz programa de governo ou de partido, ideologia, projeto para o país. Pouco importa quem seja o presidente, desde que eles possam dividir o butim e faturar sempre mais. Nem fazem questão de lançar candidato. O que eles querem é apenas o poder para barganhar cargos e verbas, manter seus feudos nos ministérios e cevar os currais eleitorais nos fundões do Brasil", escreve.

"Resta saber o que pensa de tudo isso aquele pequeno detalhe, quer dizer, sua excelência, o eleitor. Com Lula preso, eles se sentem mais à vontade para costurar suas alianças com os mesmos de sempre para que nada mude. Se tudo der certo, na melhor das hipóteses, teremos apenas uma continuação do governo Temer, o mais rejeitado presidente da história republicana", afirma ainda.

Leia a íntegra no Balaio do Kotscho.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email