Coletiva da intervenção escolheu perguntas e priorizou Globo

Repórteres que participaram da primeira coletiva de imprensa sobre a intervenção federal na Segurança do Rio de Janeiro, nesta terça-feira 27, reclamaram que as perguntas foram solicitadas antes do início da entrevista, anotadas em um papel, e que a maioria das respostas foi dada a perguntas feitas por veículos do Grupo Globo; o evento durou menos de meia hora

Repórteres que participaram da primeira coletiva de imprensa sobre a intervenção federal na Segurança do Rio de Janeiro, nesta terça-feira 27, reclamaram que as perguntas foram solicitadas antes do início da entrevista, anotadas em um papel, e que a maioria das respostas foi dada a perguntas feitas por veículos do Grupo Globo; o evento durou menos de meia hora
Repórteres que participaram da primeira coletiva de imprensa sobre a intervenção federal na Segurança do Rio de Janeiro, nesta terça-feira 27, reclamaram que as perguntas foram solicitadas antes do início da entrevista, anotadas em um papel, e que a maioria das respostas foi dada a perguntas feitas por veículos do Grupo Globo; o evento durou menos de meia hora (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A primeira coletiva de imprensa sobre a intervenção federal na Segurança do Rio de Janeiro, que aconteceu nesta terça-feira 27, durou menos de meia hora e escolheu previamente as perguntas dos repórteres.

Os jornalistas tiveram que anotar suas perguntas em um papel, que foram entregues dez minutos antes do início da entrevista. Os repórteres que participaram do evento criticaram nas redes sociais que a maioria das respostas foi dada a perguntas feitas por veículos do Grupo Globo.

Confira algumas delas:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247