DCM: Delcídio joga pá de cal na carreira de Aécio

O jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo, diz que "as revelações de Delcídio Amaral agravaram, talvez sem chance de remédio, o governo Dilma e o PT, mas deixaram a nu, definitivamente, a grande esperança branca da oposição, o incansável tribuno, o político que não aceitou a derrota desde outubro de 2014 e que desde então veio fazendo uma pregação moralista, barata, deletéria e demagógica"; o texto é uma referência ao senador Aécio Neves (PSDB)

O jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo, diz que "as revelações de Delcídio Amaral agravaram, talvez sem chance de remédio, o governo Dilma e o PT, mas deixaram a nu, definitivamente, a grande esperança branca da oposição, o incansável tribuno, o político que não aceitou a derrota desde outubro de 2014 e que desde então veio fazendo uma pregação moralista, barata, deletéria e demagógica"; o texto é uma referência ao senador Aécio Neves (PSDB)
O jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo, diz que "as revelações de Delcídio Amaral agravaram, talvez sem chance de remédio, o governo Dilma e o PT, mas deixaram a nu, definitivamente, a grande esperança branca da oposição, o incansável tribuno, o político que não aceitou a derrota desde outubro de 2014 e que desde então veio fazendo uma pregação moralista, barata, deletéria e demagógica"; o texto é uma referência ao senador Aécio Neves (PSDB) (Foto: Valter Lima)

247 - O jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo, diz que "as revelações de Delcídio Amaral agravaram, talvez sem chance de remédio, o governo Dilma e o PT, mas deixaram a nu, definitivamente, a grande esperança branca da oposição, o incansável tribuno, o político que não aceitou a derrota desde outubro de 2014 e que desde então veio fazendo uma pregação moralista, barata, deletéria e demagógica". O texto é uma referência ao senador Aécio Neves (PSDB).

Abaixo um trecho do texto:

O diabo está nos detalhes. Há um trecho da delação bomba de Delcídio do Amaral em que ele fala que a CPMI dos Correios foi feita “com base em dados maquiados”.

Relata que outros parlamentares sabiam da empulhação, entre eles Carlos Sampaio, o probo, e Aécio Neves. Acrescenta o petista: o tema foi tratado com o então governador Aécio em Minas Gerais. Após a reunião, Aécio “franqueou o avião do governo para que o declarante viajasse para o Rio de Janeiro”.

A viagem de Delcídio está na relação de vôos oficiais de Aécio entre 2003 e 2010. Ela foi obtida pelo DCM e utilizada em algumas matérias.

As aeronaves bancadas com o dinheiro do contribuinte mineiro foram emprestadas também para gente como Roberto Civita, Fernando Henrique Cardoso, José Dirceu, todas as lideranças do PSDB, e um certo Roberto Marinho (que Roberto Irineu Marinho, dono da Globo, declarou não ser ele num email enviado a nós por sua advogada).

A família inteira também passeou, inclusive o primo Quedo, acusado de comprar um juiz num caso de tráfico de drogas.

Em matéria de tráfico de influência, Aécio foi campeão. A delação de Delcídio e a lista de passeios de helicóptero e turboélice são pedaços do cipoal de interesses, alguns mais escusos que outros, que Aécio representou em sua vida pública.

Leia o texto na íntegra aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247