DCM: “Juíz”, “rugas”, “a 28 anos”, “coupção”… Moro tortura a língua portuguesa até ela confessar

"A ideia é torturar o idioma até ele confessar", afirma Kiko Nogueira no Diario do Centro do Mundo; o jornalista cita erros de português do ministro Sérgio Moro; confira

(Foto: Marcelo Camargo - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Ao escrever, a tragédia é pior. Na série de diálogos revelados pela Veja, está lá a dica de Faustão transmitida a Dallagnol sobre usar uma 'linguagem mais simples'. 'Conselho de quem está a (sic) 28/anos na TV', manda ver SM. Moro simplesmente desconhece o verbo 'haver' e suas regras de impessoalidade e flexão", afirma Kiko Nogueira, no Diario do Centro do Mundo.

"No programa do Bial em que mentiu sobre uma biografia que não estava lendo, mencionou as 'rugas' com Gilmar Mendes (eram 'rusgas')", continua.

"Não bastassem as ideias, a dicção é sofrível. “Coupção”, por exemplo, é um clássico. Em sua resposta à Veja, ele conseguiu fazer o diabo em apenas quatro linhas. 'Que constrangedor para a Veja a matéria abaixo. Será que tem resposta para isso ou vai insistir na fantasia, como na do juíz que favorece à acusação, mas que absolve os acusados no mesmo processo?'", complementa Nogueira ao citar a declaração de Moro. "A ideia é torturar o idioma até ele confessar".

Leia a íntegra no DCM

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email