DCM: sargento da Aeronáutica ameaça Maria do Rosário

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) protocolou nesta sexta-feira 18, na sede do departamento de Polícia Federal em Brasília, pedido de investigação das ameaças que vem recebendo por meio do WhatsApp, desde que  o STJ confirmou a condenação do deputado Jair Bolsonaro numa ação movida por ela; a parlamentar começou a ser incluída em grupos de apoiadores de Bolsonaro, onde passou a ser xingada e intimidade; o sargento da Força Aérea Brasileira Aldimar Torres da Silva ameaçou "grampear" o telefone da deputada e disse que iria 'rasgá-la no meio'

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) protocolou nesta sexta-feira 18, na sede do departamento de Polícia Federal em Brasília, pedido de investigação das ameaças que vem recebendo por meio do WhatsApp, desde que  o STJ confirmou a condenação do deputado Jair Bolsonaro numa ação movida por ela; a parlamentar começou a ser incluída em grupos de apoiadores de Bolsonaro, onde passou a ser xingada e intimidade; o sargento da Força Aérea Brasileira Aldimar Torres da Silva ameaçou "grampear" o telefone da deputada e disse que iria 'rasgá-la no meio'
A deputada Maria do Rosário (PT-RS) protocolou nesta sexta-feira 18, na sede do departamento de Polícia Federal em Brasília, pedido de investigação das ameaças que vem recebendo por meio do WhatsApp, desde que  o STJ confirmou a condenação do deputado Jair Bolsonaro numa ação movida por ela; a parlamentar começou a ser incluída em grupos de apoiadores de Bolsonaro, onde passou a ser xingada e intimidade; o sargento da Força Aérea Brasileira Aldimar Torres da Silva ameaçou "grampear" o telefone da deputada e disse que iria 'rasgá-la no meio' (Foto: Gisele Federicce)

247 - O Diário do Centro do Mundo noticiou nesta sexta-feira 18 a informação de que a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) protocolou, na sede do departamento de Polícia Federal em Brasília, pedido de investigação das ameaças que vem recebendo por meio do WhatsApp.

A parlamentar começou a ser incluída em grupos de apoiadores do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), onde passou a ser xingada e intimidada. O integrante de um dos grupos, o sargento da Força Aérea Brasileira Aldimar Torres da Silva, ameaçou "grampear" o telefone da deputada. "Eu vou rasgar você no meio", disse ainda.

As ações dos apoiadores de Bolsonaro começaram na terça-feira 15, quando o Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a condenação de Bolsonaro numa ação movida por ela. Ele foi condenado a pagar R$ 10 mil à petista por dizer que ela não merecia ser estuprada por ser 'muito feia'.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247