DCM: Temer no poder é a prova de que o Brasil perdeu a sanidade

"Em nenhuma sociedade avançada seria aceito que a chefia do governo estivesse nas mãos de alguém citado 43 vezes num caso de corrupção", diz Paulo Nogueira, diretor do DCM, sobre a quantidade de vezes em que Michel Temer foi citado apenas numa delação da Odebrecht; "Um dia a posteridade, retomada a sanidade entre os brasileiros, se perguntará como o país foi capaz de tolerar um presidente mergulhado de tal forma num superesquema de roubalheira"

Temer
Temer (Foto: Leonardo Attuch)

247 – O jornalista Paulo Nogueira, editor do DCM, aponta: o Brasil perdeu a sanidade e a prova disso é o fato de tolerar Michel Temer no poder.

"Viramos um país desmemoriado e descarado. Parece que esquecemos que o presidente usurpador governa sob o peso de 43 citações numa única delação da Odebrecht. Uma seria suficiente para colocar Temer sob séria suspeita — e provavelmente inviabilizá-lo na presidência. Mas são 43", diz ele.

"Um dia a posteridade, retomada a sanidade entre os brasileiros, se perguntará como o país foi capaz de tolerar um presidente mergulhado de tal forma num superesquema de roubalheira."

Leia a íntegra no DCM.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247