Diplomatas não acreditam que discurso de Bolsonaro na ONU terá impacto positivo para o país

Integrantes do Itamaraty esperam que discurso de Bolsonaro será "mais moderado", mas o consenso geral é que a fala não trará resultados positivos

Palácio do Itamaraty, sede da Diplomacia brasileira
Palácio do Itamaraty, sede da Diplomacia brasileira (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A expectativa reinante no Itamaraty é de que o discurso de Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia Geral da ONU, nesta terça-feira (21), seguirá uma linha supostamente “mais moderada” do que os anteriores. Mas o consenso é que a fala não tem capacidade de restaurar a imagem do Brasil no exterior. 

O ocupante do Palácio do Planalto continuará sem credibilidade internacional, "já que todas as ações de Bolsonaro vão em direção oposta ao equilíbrio e à moderação", escreve a jornalista Bela Megale.

"Entre essas ações, diplomatas apontam o negacionismo do presidente sobre a vacina, o desmonte da política ambiental e os discursos golpistas, em especial no 7 de setembro. Lembram que também pesa contra a credibilidade de Bolsonaro as duas falas que já fez na ONU, repletas de teorias negacionistas e com ataques a outras nações".

PUBLICIDADE

"Mesmo que Bolsonaro adote um tom mais moderado, os diplomatas não têm ilusões de que haja volta a uma linha mais tradicional do Itamaraty, responsável pelo respeito e reputação do Brasil no âmbito mundial".  

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email