Dos tuítes de Carlos Bolsonaro, 72,2% são ataques

Vereador pelo Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, considerado o filho mais próximo do presidente da República, tornou-se o pivô de uma grave crise política e de governo que resultou no afastamento de Gustavo Benianno; tido como o "pitbull" da família, ele usa a rede social como uma metralhadora giratória; dos tuítes que publica, 72,2% são ataques; elogios representam somente 8,8%, e citações a atos do governo, 8,4%

Dos tuítes de Carlos Bolsonaro, 72,2% são ataques
Dos tuítes de Carlos Bolsonaro, 72,2% são ataques (Foto: Reprodução/Rede Social)

247 - Vereador pelo Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, considerado o filho mais próximo do presidente da República, tornou-se o pivô de uma grave crise política e de governo que resultou no afastamento de Gustavo Bebianno, um dos mais importantes dirigentes da campanha eleitoral de Jair Bolsonaro e ocupante de um dos cargos de maior relevância no Palácio do Planalto - a Secretaria Geral do Governo. Tido como o "pitbull" da família, o vereador usa a rede social como uma metralhadora giratória.

Em seus tuítes, Carlos Bolsonaro faz ataques indiscriminados a pessoas do próprio campo político, a lideranças da esquerda, aos movimentos sociais e à imprensa. É também pela rede social que elogia figuras da direita mais reacionária e propaga ideias obscurantistas.

Em reportagem publicada neste domingo no jornal O Globo, os jornalistas Igor Mello e Juliana Castro analisam 500 tuítes feitos por Carlos Bolsonaro entre 15 de dezembro e 15 de fevereiro e revelam que 72,2% das postagens feitas pelo parlamentar são ataques. Elogios representam somente 8,8%, e citações a atos do governo, 8,4%.

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247