“Feministas pró-Bolsonaro”: a fake news do momento

A jornalista patrícia Lélis diz que a nova fake news do momento é "uma página no Facebook que se autodenomina "feministas que apoiam Bolsonaro", pois defende penas mais duras para casos de assédio e estupro. Ou seja, são a favor da pena de morte"; "O feminismo anda junto com diversas outras vertes políticas, humanitárias e ideológicas. Entre essas vertentes está os "direitos humanos", destaca; "Não existe a menor possibilidade de feministas apoiarem um homem machista que em cada fala sua deixa claro o seu ódio, racismo e misoginia", pontua

Deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
Deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Patrícia Lélia, na Revista FórumUma página no Facebook se autodenomina "feministas que apoiam Bolsonaro", pois defende penas mais duras para casos de assédio e estupro. Ou seja, são a favor da pena de morte. Então, vamos aos pontos.

Primeiro eu gostaria de chamar qualquer feminista que realmente apoia o Bolsonaro (se é que isso realmente existe) para uma única reflexão: o feminismo anda junto com diversas outras vertes políticas, humanitárias e ideológicas. Entre essas vertentes estão os "direitos humanos", e não existe a menor possibilidade de você se autointitular feminista e simplesmente esquecer qualquer regra básica de direitos humanos. Essa foi com certeza uma das coisas mais controversas que eu já presenciei na vida.

Vamos falar de direitos humanos básicos. Não vou nem aprofundar o assunto para não se tornar muito complexo, porém, para qualquer um deveria ser básico saber que não podemos ser favoráveis a pena de morte. Podemos e devemos buscar justiça, seguindo a Constituição, e sempre garantindo os direitos básicos do próximo, e jamais os tirando, pois, se fizermos isso, estaríamos agindo contra a lei que é base de tudo. "Todos somos iguais perante a lei", e caso alguém tenha uma atitude fora da lei, que a lei trate de puni-lo, mas jamais tirar a vida.

Segundo ponto que eu gostaria muito de questionar qualquer pessoa que ainda possa acreditar minimamente nesse suposto movimento, é que se em nenhum momento vocês se questionaram quem estaria por trás dessas páginas, se essas mulheres que se autointitulam feministas não recebem apoio financeiro que possa ser suspeito e vindo de grupos como o MBL, ou até mesmo do próprio Bolsonaro.

Muito me impressiona como algumas pessoas não se dão ao trabalho do questionamento. Posso dizer com toda a certeza do mundo, que quando eu era de direita, e do PSC, o que não faltava era financiamento para qualquer tipo de página que fosse para apoiar um futuro candidato a presidência. Afinal, a internet atualmente é uma ótima ferramenta de campanha, e quem sabe usá-la, também sabe fazer barulho e chamar atenção. Regra pura e simples de marketing.

E veja só o nível de oportunismo que chegamos. A corrida eleitoral desesperada de um político com pouca bagagem intelectual como o Bolsonaro se tornou tão sem escrúpulos que, ao ver o crescimento e força do movimento feminista, tenta ao máximo se aproveitar disso. Eu chego a dizer que isso é o mais puro exemplo de backlash, em que vale tudo para destruir as conquistas do feminismo, até mesmo usar o próprio feminismo ao ponto de fazer a cabeça de pessoas desinformadas, e com isso ganhar votos.

Feministas não apoiam o Bolsonaro. Seria isso a maior controvérsia de todos os tempos. Não existe a menor possibilidade de feministas apoiarem um homem machista que em cada fala sua deixa claro o seu ódio, racismo e misoginia. Como nós, mulheres feministas, apoiaríamos um homem que tem a coragem de dizer quem deve ou não ser estuprada, segundo o seu gosto por padrões de beleza?

Queremos mesmo é poder denunciar um abuso e não sermos questionadas, queremos é que nossos abusadores sejam penalizados segundo a lei, queremos ter direitos iguais, queremos ganhar os mesmos salários que os homens, queremos poder ocupar cargos na política e em grandes empresas, queremos poder andar na rua e não sermos assediadas, queremos um dia poder eleger uma mulher presidente do Brasil e um grupo de homens machistas não a chamá-la de incapaz. Queremos diversas coisas, menos oferecer nosso apoio ao Bolsonaro. Um homem como ele jamais vai representar qualquer coisa ligada ao feminismo.

Dizer que feministas apoiam o Bolsonaro é o mesmo que dizer que os judeus apoiam os nazistas, é tão controverso que chega a ser bizarro. E para fazer uma notícia desse nível viralizar na internet, qualquer pessoa com um pouco mais de discernimento vai entender que isso não passa de uma mera tentativa de um homem desesperado, fracassado e despreparado de chegar a presidência.

Nos poupe.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247