Fernando Brito: o problema não é Olavo. Mourão sabe, mas não pode reagir

Ocorre que o escritor Olavo de Carvalho tornou-se "a ferramenta ideal para enfrentar a linha de 'alternativa viável' da qual Mourão – não se sabe se só ou com quanto apoio da 'ala militar'  do governo – resolveu vestir-se", diz o jornalista Fernando Brito, do Tijolaço; "Mourão, desafiado, topou e, agora, é nome maldito para a base social do bolsonarismo"

Fernando Brito: o problema não é Olavo. Mourão sabe, mas não pode reagir
Fernando Brito: o problema não é Olavo. Mourão sabe, mas não pode reagir (Foto: Dir.: Adriano Machado - Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Fernando Brito, do Tijolaço - Hamílton Mourão atira onde pode e como pode.

Fazer “graça” com a astrologia de Olavo de Carvalho seria uma saída pela tangente aceitável em outros casos, mas o caso é mais em cima, agora, que Jair Bolsonaro mandou endossar nas suas redes sociais o vídeo em que, embora sem ter o nome citado, Mourão é ridicularizado pelo guru do clã presidencial, Olavo e pelo guri Carlos.

É evidente que o “Mito” está esticando a corda com seu vice.

Não por um embate ideológico, apenas político, pois afastadas as grosserias e as carolices de Olavo, o fundo ideológico é o mesmo: conservador e entreguista, embora o do guru seja mais comparável ao “golden shower” norte-americano.

Ocorre que Olavo é a ferramenta ideal para enfrentar a linha de “alternativa viável” da qual Mourão – não se sabe se só ou com quanto apoio da “ala militar”  do governo – resolveu vestir-se.

Moro e Guedes, os outros “comandantes de destacamente” do governismo, ambos fugiram a este confronto, certamente não sem alguma repugnância ao papel de bajuladores do “bruxo”.

Mourão, desafiado, topou e, agora, é nome maldito para a base social do bolsonarismo.

Por isso disse que atira onde pode e como pode. Não pode atirar em Bolsonaro e não tem como disparar calibre maior que ironias ou escafeder-se em um “não vou discutir com este sujeito”.

Só pode fugir ao combate e esperar que o chefe se desgaste.

E isso lhe custa, caro: custa o papel de “durão” que construiu em toda a carreira.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247