Folha corta coluna de Boulos, que só estranha a demora

O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, teve hoje sua última coluna publicada no jornal Folha de S.Paulo; no texto da edição desta quinta-feira, Boulos diz que foi comunicado sobre o afastamento das páginas do jornal e confessa que estranhou a demora; "Recebi nesta quarta-feira (8) uma ligação da direção da Folha dizendo que esta seria minha última coluna. Não estranhei. Estranhei, na verdade, que essa ligação tenha demorado tanto tempo para acontecer. Tenho posições antagônicas às do jornal e, principalmente, uma militância que incomoda a maior parte dos leitores e anunciantes que o mantém", diz

12/08/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Entrevista com Guilherme Boulos, coordenador nacional do MTST, no Demhab. Foto: Guilherme Santos/Sul21
12/08/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Entrevista com Guilherme Boulos, coordenador nacional do MTST, no Demhab. Foto: Guilherme Santos/Sul21 (Foto: José Barbacena)

247 - O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, teve hoje sua última coluna publicada no jornal Folha de S.Paulo. No texto da edição desta quinta-feira, Boulos diz que foi comunicado sobre o afastamento das páginas do jornal e confessa que estranhou a demora.

"Recebi nesta quarta-feira (8) uma ligação da direção da Folha dizendo que esta seria minha última coluna. Não estranhei. Estranhei, na verdade, que essa ligação tenha demorado tanto tempo para acontecer. Tenho posições antagônicas às do jornal e, principalmente, uma militância que incomoda a maior parte dos leitores e anunciantes que o mantém", diz.

Boulos acredita que a ocupação do MTST na Paulista pode ter acelerado o processo de sua saída como colunista da Folha. "O argumento dado foi de uma renovação "natural", uma rotatividade de colunistas. Pode ser. Porém, até pelo momento em que ocorre, me parece impossível não relacionar o gesto ao acampamento do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) na Paulista, com todas as reações de hostilidade que gerou em empresários e associações sediadas naquela avenida".

"Saio pela porta da frente, sem ter recuado em nenhuma de minhas posições nesses mais de dois anos escrevendo para o jornal. Devo dizer também que em nenhum momento houve intervenção no conteúdo do que publiquei".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247