Geddel já virou bambu?, questiona Tijolaço

O jornalista Fernando Brito se pergunta se o ex-ministro Geddel Vieira Lima já seria munição para uma flechada de última hora de Rodrigo Janot; "Como previsibilidade, lealdade, decoro e discrição são palavras obsoletas em matéria de Justiça, hoje, gloriosamente substituídas por surpresa, armação, espalhafato e holofotes, não é impossível que ainda haja bambus sendo apontados dentro da Procuradoria Geral da República para o 'último dia em cartaz' de Rodrigo Janot", afirma

O jornalista Fernando Brito se pergunta se o ex-ministro Geddel Vieira Lima já seria munição para uma flechada de última hora de Rodrigo Janot; "Como previsibilidade, lealdade, decoro e discrição são palavras obsoletas em matéria de Justiça, hoje, gloriosamente substituídas por surpresa, armação, espalhafato e holofotes, não é impossível que ainda haja bambus sendo apontados dentro da Procuradoria Geral da República para o 'último dia em cartaz' de Rodrigo Janot", afirma
O jornalista Fernando Brito se pergunta se o ex-ministro Geddel Vieira Lima já seria munição para uma flechada de última hora de Rodrigo Janot; "Como previsibilidade, lealdade, decoro e discrição são palavras obsoletas em matéria de Justiça, hoje, gloriosamente substituídas por surpresa, armação, espalhafato e holofotes, não é impossível que ainda haja bambus sendo apontados dentro da Procuradoria Geral da República para o 'último dia em cartaz' de Rodrigo Janot", afirma (Foto: Aquiles Lins)

Por Fernando Brito, do Tijolaço - Como previsibilidade, lealdade, decoro e discrição são palavras obsoletas em matéria de Justiça, hoje, gloriosamente substituídas por surpresa, armação, espalhafato e holofotes, não é impossível que ainda haja bambus sendo apontados dentro da Procuradoria Geral da República para o “último dia em cartaz” de Rodrigo Janot.

E as atenções se voltam para Geddel Vieira Lima, sem dúvidas o mais encrencado dos “porquinhos” no chiqueiro palaciano descrito na denúncia moldada ontem com a lama trazida por Lúcio Funaro.

Em O Globo, a experiente repórter Cristiane Jungblut diz, entre aspas, que uma fonte palaciana diz que Temer quer votar a denúncia na Câmara antes que Geddel fale”.

“Nos bastidores, o temor no Planalto não é com a última flecha de Janot e sim com uma delação do ex-ministro Geddel Vieira Lima. Por isso, querem enterrar a denúncia “antes que Geddel fale”

Na coluna Painel, da Folha, é recordada uma declaração de Geddel de que não aguentaria “uma semana preso”, antes dos R$ 51 milhões e das digitais.

Será que ninguém o convidou para a única porta que lhe restaria aberta?

Não há tempo para outra denúncia, mas para vazamento, bastam alguns minutos.

Há um cheiro ruim no ar…

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247