Golpismo de Bolsonaro não vai parar e risco militar é o ponto mais delicado, diz Miriam Leitão

Jornalista afirma ainda que Jair Bolsonaro conta com o silêncio cúmplice de Arthur Lira e Augusto Aras

www.brasil247.com -
(Foto: ABr | Reprodução)


247 – A jornalista Miriam Leitão, que apoiou o golpe de estado de 2016 contra a ex-presidente Dilma Rousseff, processo que abriu as portas para um choque neoliberal na economia e a ascensão de um regime neofascista na política, afirma que o risco de um golpe bolsonarista não pode ser descartado. "Bolsonaro atirou contra a democracia brasileira, mas a bala voltou-se contra ele mesmo. Mesmo com a força dessa resistência, o país continua vulnerável aos ataques e às maquinações de golpistas. Bolsonaro é golpista e se cercou de pessoas que ele domina totalmente e alguns estão em pontos estratégicos, como o general Paulo Sérgio Nogueira, ministro da Defesa", escreve ela, em sua coluna, no Globo.

"Há ainda o risco militar. E esse é o ponto mais delicado. O silêncio de Aras e Lira é pura omissão, nos militares da ativa o silêncio é da natureza do trabalho. A grande dúvida do país neste momento é o que farão os militares da ativa. Bolsonaro soube levantar essa assombração sobre a democracia brasileira", prossegue. "Bolsonaro não vai parar em seu explícito golpismo. A reação às suas manobras terá que ser cada mais forte", finaliza.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email