José Trajano: Furtado e Florestan nos devolvem a sanidade e o futuro

Jornalista José Trajano afirmou que as obras da economista Celso Furtado e do sociólogo Florestan Fernandes reforçam a importância do papel do Estado na execução de serviços públicos e na soberania nacional

Florestan Fernandes, Celso Furtado e José Trajano
Florestan Fernandes, Celso Furtado e José Trajano
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista José Trajano afirmou que, "neste momento em que a pandemia escancara a crise e o fracasso do neoliberalismo", as ideias do economista Celso Furtado e do sociólogo Florestan Fernandes "reforçam a importância da presença do Estado na economia". 

"É fundamental para o nosso futuro que sejam apresentados aos jovens pelos professores, que seus livros sejam debatidos nas escolas e universidades", disse ele em seu próprio site

De acordo com o jornalista, "Florestan e Celso deixaram um legado interdisciplinar, de natureza política, econômica e cultural, fruto de embates, pesquisas e estudos transformados em livros e teses, sempre com um rumo e um sentido: a formação de uma consciência crítica sobre os privilégios, o racismo e as desigualdades na sociedade". 

"Constituem referência em estudos sobre o país, traduzidos e discutidos em seminários e universidades no exterior. Aqui onde nasceram, neste governo de olavistas e rachadinhas, silêncio absoluto. Por preconceito ideológico ou ignorância, nada se falou sobre o centenário e a atualidade dos dois mestres e cientistas", acrescentou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247