Josias diz que se Doria for candidato em 2018 será o “traidor”

Jornalista Josias de Souza comenta no UOL os resultados para o prefeito João Doria da pesquisa Datafolha, que apontou aprovação de 43% para a gestão tucana números também trouxeram um sinal para o tucano: a maioria dos paulistanos não quer que Doria abandone a prefeitura de São Paulo para ser candidato em 2018; "Se abandonar a fantasia de gari para tentar a sorte como uma alegoria presidencial em 2018, o prefeito escalará o palco nacional como o pior tipo de político: o traidor. Nesse papel, o sujeito pede votos aos pobres, pede apoio aos poderosos e engana a ambos depois"

JOão Doria pintor
JOão Doria pintor (Foto: José Barbacena)

247 - O jornalista Josias de Souza comenta no UOL os resultados para o prefeito João Doria da pesquisa Datafolha, que apontou aprovação de 43% para a gestão tucana. Os números também trouxeram um sinal para o tucano: a maioria dos paulistanos não quer que Doria abandone a prefeitura de São Paulo para ser candidato em 2018.

"Num instante em que a política fede acima do normal, o relativo sucesso invadiu as narinas de Doria como um inebriante perfume. E a mosca azul da Presidência da República subiu-lhe à cabeça", escreve Josias.

O jornalista afirma que Doria criou uma fábula do não político e agora está refém da mesma. 

"O pupilo do governador tucano Geraldo Alckmin tornou-se um prisioneiro da fábula que criou. Doria passou a campanha inteira propagando uma falsidade: “Não sou político”, alardeou. "Se abandonar a fantasia de gari para tentar a sorte como uma alegoria presidencial em 2018, o prefeito escalará o palco nacional como o pior tipo de político: o traidor. Nesse papel, o sujeito pede votos aos pobres, pede apoio aos poderosos e engana a ambos depois".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247