Josias: 'Sob Cunha, Câmara vive monarquia absolutista'

O jornalista Josias de Souza, do UOL,  diz que sob Eduardo Cunha, "vigora na Câmara uma monarquia de fato"; "Nesse sistema político, só uma pessoa usa a coroa, o manto e o cetro. No caso, o próprio Cunha. Como se sabe, há dois tipos de monarquia: as absolutas e as constitucionais. Cunha optou pelo primeiro modelo. O absolutismo lhe parece mais divertido. Autoproclamou-se Dom Cunha Primeiro, o único. No momento, dedica-se a desmoralizar a Câmara, desfilando sua amoralidade pelos corredores do prédio de Niemeyer como se nada tivesse sido descoberto sobre o seu passado recente", ironizou

O jornalista Josias de Souza, do UOL,  diz que sob Eduardo Cunha, "vigora na Câmara uma monarquia de fato"; "Nesse sistema político, só uma pessoa usa a coroa, o manto e o cetro. No caso, o próprio Cunha. Como se sabe, há dois tipos de monarquia: as absolutas e as constitucionais. Cunha optou pelo primeiro modelo. O absolutismo lhe parece mais divertido. Autoproclamou-se Dom Cunha Primeiro, o único. No momento, dedica-se a desmoralizar a Câmara, desfilando sua amoralidade pelos corredores do prédio de Niemeyer como se nada tivesse sido descoberto sobre o seu passado recente", ironizou
O jornalista Josias de Souza, do UOL,  diz que sob Eduardo Cunha, "vigora na Câmara uma monarquia de fato"; "Nesse sistema político, só uma pessoa usa a coroa, o manto e o cetro. No caso, o próprio Cunha. Como se sabe, há dois tipos de monarquia: as absolutas e as constitucionais. Cunha optou pelo primeiro modelo. O absolutismo lhe parece mais divertido. Autoproclamou-se Dom Cunha Primeiro, o único. No momento, dedica-se a desmoralizar a Câmara, desfilando sua amoralidade pelos corredores do prédio de Niemeyer como se nada tivesse sido descoberto sobre o seu passado recente", ironizou (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Josias de Souza, do UOL,  diz que sob Eduardo Cunha, "vigora na Câmara uma monarquia de fato". "Nesse sistema político, só uma pessoa usa a coroa, o manto e o cetro. No caso, o próprio Cunha. Como se sabe, há dois tipos de monarquia: as absolutas e as constitucionais. Cunha optou pelo primeiro modelo. O absolutismo lhe parece mais divertido. Autoproclamou-se Dom Cunha Primeiro, o único. No momento, dedica-se a desmoralizar a Câmara, desfilando sua amoralidade pelos corredores do prédio de Niemeyer como se nada tivesse sido descoberto sobre o seu passado recente", ironiza.

Segundo o jornalista, "depois de atravessar o impeachment na taqueia de Dilma, presidente de uma República pré-falimentar, Dom Cunha Primeiro cuida de imobilizar o Conselho de Ética da Câmara, impedindo que o colegiado lhe exija explicações". "Soberano que é soberano não deve nada a ninguém. Muito menos explicações. Ao destituir o relator do processo de cassação do seu mandato praticamente sem resistências, Cunha, o único, tornou-se uma evidência caricatural de que a “normalidade democrática” de que fala Michel Temer é uma ficção", ressalta.

Texto na íntegra aqui.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247