Kotscho: caos se alastra no Brasil desgovernado

"A turma dos patos amarelos e das camisas da CBF queria tanto o Brasil de volta que eles conseguiram", avalia o jornalista Ricardo Kotscho; "Conseguiram quebrar e parar o país que já estava na banguela, passando vergonha há dois anos. No quarto dia de locaute dos caminhoneiros, o caos se alastra pelas cidades e nos campos, nos portos e aeroportos, nos supermercados e nas fábricas, nas filas de ônibus e nas estradas, por toda parte", diz ele

"A turma dos patos amarelos e das camisas da CBF queria tanto o Brasil de volta que eles conseguiram", avalia o jornalista Ricardo Kotscho; "Conseguiram quebrar e parar o país que já estava na banguela, passando vergonha há dois anos. No quarto dia de locaute dos caminhoneiros, o caos se alastra pelas cidades e nos campos, nos portos e aeroportos, nos supermercados e nas fábricas, nas filas de ônibus e nas estradas, por toda parte", diz ele
"A turma dos patos amarelos e das camisas da CBF queria tanto o Brasil de volta que eles conseguiram", avalia o jornalista Ricardo Kotscho; "Conseguiram quebrar e parar o país que já estava na banguela, passando vergonha há dois anos. No quarto dia de locaute dos caminhoneiros, o caos se alastra pelas cidades e nos campos, nos portos e aeroportos, nos supermercados e nas fábricas, nas filas de ônibus e nas estradas, por toda parte", diz ele (Foto: Aquiles Lins)

247 - "A turma dos patos amarelos e das camisas da CBF queria tanto o Brasil de volta que eles conseguiram. Conseguiram quebrar e parar o país que já estava na banguela, passando vergonha há dois anos. No quarto dia de locaute dos caminhoneiros, o caos se alastra pelas cidades e nos campos, nos portos e aeroportos, nos supermercados e nas fábricas, nas filas de ônibus e nas estradas, por toda parte", avalia nesta quinta-feira, 24, o jornalista Ricardo Kotscho, sobre a greve que paralisa o País.

Kotscho destaca que vários estados já começaram a sofrer com o desabastecimento de alimentos perecíveis e falta  combustível nos postos e nas refinarias.

"Em lugar da trégua de três dias implorada por Temer, os líderes do movimento responderam com um ultimato. Nesta quinta-feira, José da Fonseca Lopes, presidente da Associação Brasileira de Caminhoneiros avisou que a paralisação só será suspensa se o Senado aprovar ainda hoje, até as 14 horas, o projeto que elimina a cobrança de PIS/Cofins até o final do ano. Para completar o cenário, as ações da Petrobras despencaram 14% nesta manhã. O que falta ainda?", questiona. 

Leia o texto na íntegra no Balaio do Kotscho

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247