Kotscho: como nos preparar para o Brasil de 2019?

"Com a falência dos partidos e das lideranças da chamada sociedade civil, que entraram em prolongada hibernação faz tempo, o quadro que se desenha à nossa frente é ainda mais preocupante do que no tempo em que nos juntamos todos em defesa das eleições diretas para presidente da República, em 1984", avalia o jornalista Ricardo Kotscho sobre as perspectivas para a democracia brasileira a partir do próximo ano no governo de Jair Bolsonaro

Kotscho: como nos preparar para o Brasil de 2019?
Kotscho: como nos preparar para o Brasil de 2019?

247 - O jornalista Ricardo Kotscho relata nesta segunda-feira, 3, sobre as expectativas que aguardam o País para 2019, em meio à ascensão da extrema-direita à Presidência da República. 

"Com a falência dos partidos e das lideranças da chamada sociedade civil, que entraram em prolongada hibernação faz tempo, o quadro que se desenha à nossa frente é ainda mais preocupante do que no tempo em que nos juntamos todos em defesa das eleições diretas para presidente da República, em 1984. Quem sabe surjam agora os novos líderes para substituir a geração 68 surgida nas lutas pela redemocratização do país", diz Kotscho. 

Segundo o jornalista, as forças nacionais a estrangeiras que se opõem à democracia e defendem medidas de exceção são as mesmas que se uniram e venceram em 1964.

"Para quem não quer ver esse filme de novo, só tem um jeito, além de rezar bastante: em primeiro lugar, vencer o medo e, aos poucos, ir criando novas formas de organização no mundo digital dos algoritmos, para podermos lutar com as mesmas armas que decidiram as eleições de outubro. A dificuldade é maior para dinossauros analógicos como eu, mas, enquanto puder continuar escrevendo aqui, vou cumprindo meu papel de denunciar o que está acontecendo e alertar para o que ainda pode vir pela frente", diz ele.

Leia o texto na íntegra no Balaio do Kotscho

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247