Maior revista alemã denuncia “insurreição dos hipócritas” no Brasil

Revista Der Spiegel, a maior da Alemanha, classificou a sessão da Câmara que aprovou o início do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff como uma "insurreição de hipócritas"; "A maior parte dos deputados evocou Deus e a família na hora de dar o seu voto. Jair Bolsonaro até mesmo defendeu um dos piores torturadores da ditadura militar", diz a revista; já o diário alemão Süddeutsche Zeitung destaca que "inúmeros parlamentares que impulsionaram o impeachment de Dilma são, eles próprios, alvos de processos por corrupção"; "Contra Dilma nenhum ato de corrupção foi provado"

Revista Der Spiegel, a maior da Alemanha, classificou a sessão da Câmara que aprovou o início do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff como uma "insurreição de hipócritas"; "A maior parte dos deputados evocou Deus e a família na hora de dar o seu voto. Jair Bolsonaro até mesmo defendeu um dos piores torturadores da ditadura militar", diz a revista; já o diário alemão Süddeutsche Zeitung destaca que "inúmeros parlamentares que impulsionaram o impeachment de Dilma são, eles próprios, alvos de processos por corrupção"; "Contra Dilma nenhum ato de corrupção foi provado"
Revista Der Spiegel, a maior da Alemanha, classificou a sessão da Câmara que aprovou o início do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff como uma "insurreição de hipócritas"; "A maior parte dos deputados evocou Deus e a família na hora de dar o seu voto. Jair Bolsonaro até mesmo defendeu um dos piores torturadores da ditadura militar", diz a revista; já o diário alemão Süddeutsche Zeitung destaca que "inúmeros parlamentares que impulsionaram o impeachment de Dilma são, eles próprios, alvos de processos por corrupção"; "Contra Dilma nenhum ato de corrupção foi provado" (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A revista Der Spiegel, a maior da Alemanha, classificou a sessão da Câmara que aprovou o início do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff como uma "insurreição de hipócritas".

Der Spiegel afirma que o Congresso brasileiro mostrou sua "verdadeira cara" e, com o uso de meios "constitucionalmente questionáveis", colocou o "avariado navio Brasil" numa "robusta rota de direita".

"A maior parte dos deputados evocou Deus e a família na hora de dar o seu voto. Jair Bolsonaro até mesmo defendeu, com palavras ardentes, um dos piores torturadores da ditadura militar", diz a revista, lembrando que tanto o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, como o vice-presidente Michel Temer são alvos de investigações por corrupção.

A publicação diz também que os deputados que votaram a favor do impeachment vão cobrar postos no governo de Temer, caso ele assuma a Presidência da República, e que muitos deles esperam que, com a vitória da oposição, as investigações da Operação Lava Jato desapareçam.

Outro veículo semanal importante da Alemanha, o jornal Die Zeit, afirma que a votação na Câmara "mais parecia um carnaval" e que uma pessoa desavisada que visse a sessão não poderia ter ideia da gravidade da situação. "Nesse dia decisivo para o destino político da sétima maior economia do mundo, o que se viu foram horas de deputados aos berros, que se abraçavam, tiravam selfies e entoavam canções", relata o correspondente Thomas Fischermann.

Já o diário alemão Süddeutsche Zeitung destaca que "inúmeros parlamentares que impulsionaram o impeachment de Dilma são, eles próprios, alvos de processos por corrupção". O correspondente Benedikt Peters lembra que o processo contra Rousseff é controverso, e que o processo contra ela é considerado político. "Contra Dilma nenhum ato de corrupção foi provado."

O jornal espanhol El País também ridicularizou a sessão da Câmara que aprovou o pedido de impeachment de Dilma, dizendo que Dilma foi derrubada por "Deus" (leia mais).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247