Milhares querem 247 forte, plural e progressista

Num encontro histórico, milhares de assinantes, membros e integrantes da comunidade 247 reuniram-se durante todo o dia de sábado (23) e afirmaram que o Brasil 247 deve ser cada vez mais um complexo midiático fortalecido, com crescimento acelerado, plural e progressista, na contramão das mídias das elites do país. Cerca de 80 pessoas participaram do 1º Encontro de Assinantes 247 na sede da Casa do Saber, na zona sul de São Paulo, e mais de 4.500 pessoas participaram do evento de maneira online pela TV 247, de todo o país e do exterior

Milhares querem 247 forte, plural e progressista
Milhares querem 247 forte, plural e progressista

247 - Num encontro histórico, milhares de assinantes, membros e integrantes da comunidade 247 reuniram-se durante todo o dia de sábado (23) e afirmaram que o Brasil 247 deve ser cada vez mais um complexo midiático fortalecido, com crescimento acelerado, plural e progressista, na contramão das mídias das elites do país. Cerca de 80 pessoas participaram do 1º Encontro de Assinantes 247 na sede da Casa do Saber, na zona sul de São Paulo, e mais de 4.500 pessoas participaram do evento de maneira online pela TV 247, de todo o país e do exterior.

Segundo Leonardo Attuch, o encontro foi um passo importante para "nosso propósito de empoderar a pessoa que lê, assiste e interage no 247. Devemos ser o anti-Cidadão Kane. Numa frase, queremos ser um meio de comunicação que empodera o público e não o editor".

Ele acrescentou: “O encontro foi um marco na história do 247. Foi gratificante sentir como o público se sente empoderado pela comunicação sincera e horizontal oferecida pelo 247. Outro ponto a se destacar foi a qualidade das palestras de nomes como Ricardo Kotscho, Eduardo Moreira, Breno Altman, Florestan Fernando Júnior, Mário Vítor Santos, Aloizio Mercadante e de jornalistas do 247, como Mauro Lopes, Paulo Moreira Leite, Alex Solnik, Gustavo Conde e Leonardo Stoppa, além das meninas do Por Elas. Certamente, faremos novos encontros.”

Houve uma sequência de entrevistas ao vivo e uma verdadeira assembleia 247 com a participação de todos. Falaram à comunidade 247, sob a liderança de Leonardo Arttuch, Gisele Fredericce, Ricardo Kotscho, Eduardo Moreira, Breno Altman, José Reinaldo Carvalho, Florestan Fernandes Jr., Mauro Lopes, Andrea Trus, Dafne Ashton, Nani Peres, Gustavo Conde, Paulo Moreira Leite, Alex Solnik, Mario Vitor Santos, Leonardo Stoppa e Aloizio Mercadante.

Foram muitos momentos marcantes, como o choro sentido de Paulo Moreira Leite ao relatar a dolorosa experiência de trabalhar em veículos da imprensa conservadora e chegar em casa se ser questionado pela filha sobre a contradição entre o que acreditava e escrevia; e a alegria de estar novamente unificado, com a internet e o 247 -pensamento e escrita na mesma direção. Ou Eduardo Moreira, ex-banqueiro que escolheu romper com o sistema; ele relatou a experiência que acabara de viver de 15 dias morando em acampamentos dos sem terra e como isso mudou sua visão sobre o MST. Foram muitos momentos marcantes. 

Todo o encontro está disponível em duas partes (manhã e tarde) e pode ser visto abaixo ou diretamente na TV 247, no YouTube. Serão disponibilizados vídeos editados de cada uma das palestras também.

Mas não foram apenas os palestrantes a falar. A comunidade 247 falou e indicou caminhos. Foram apresentadas duas questões aos 80 e aos 4.500 online, numa dinâmica mediada por Mauro Lopes e que começou com um momento de meditação. A questões foram: 1) o que deve ser o 247? 2) quais são as duas prioridades para 2019.

Os 80 presentes na Casa do Saber foram divididos em três grupos, moderados por Luciana Escobar, Daniela Araújo e Eduardo Fontes Moreira. O quarto grupo foi moderado pela Gisele Fredericce -as 4.500 pessoas online!

As respostas foram sistematizadas. Quanto ao que deve ser o 247, as repostas foram:

Grupo coordenado pelo Eduardo Moreira: "O 247 deve ser a união abundante entre o jornalismo e os saberes de todos os que queiram atuar para um Brasil mais inclusivo, transformando-se no maior canal de mídia alternativa".

Grupo coordenado por Daniela Araújo: "O 247 deve ser um canal democrático e plural para além da informação".

Grupo coordenado por Luciana Escobar: "O 247 deve ser um veículo de comunicação plural, progressista, libertador, congregador e de resistência, capaz de ampliar a acessibilidade da informação".

Grupo online, coordenado por Gisele Fredericce: "O 247 deve ser um veículo que dialogue com toda a sociedade: trabalhadores, negros, mulheres, jovens, evangélicos, indígenas. Independente, plural e faça contraponto à grande mídia".

Quanto às prioridades para 2019, houve uma enorme convergência quanto a estas: 1) crescimento; 2) abrir uma rádio 247, não no modelo tradicional, mas ancorada numa plataforma como SoundCloud e/ou Spotify 3) Criar meios de ter uma produção jornalística investigativa.

As recomendações do encontro serão encaminhadas ao Conselho 247, constituído por Luiz Carlos Bresser-Pereira, Aloizio Mercadante, Celso Amorim, Carol Proner, Jesé Souza, Felipe Coutinho, Ferrez e mais os jornalistas Florestan Fernandes Júnior, Paulo Moreira Leite, Gisele Federicce, Mauro Lopes e Leonardo Attuch.

Inscreva-se na TV 247 e assista às duas partes do encontro: 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247