Miriam Leitão suplica que Bolsonaro negocie com o Congresso

A jornalista Miriam Leitão comenta em O Globo deste sábado (25) a pesquisa XP/Ipespe divulgada ontem que aponta a avaliação negativa do governo Jair Bolsonaro superando pela primeira vez a positiva; "É o presidente desde a redemocratização cuja popularidade caiu mais rapidamente no primeiro mandato", escreve a jornalista, que suplica para que Bolsonaro negocie com o Congresso

Miriam Leitão suplica que Bolsonaro negocie com o Congresso
Miriam Leitão suplica que Bolsonaro negocie com o Congresso
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A jornalista Miriam Leitão comenta em O Globo deste sábado (25) a pesquisa XP/Ipespe divulgada ontem que aponta a avaliação negativa do governo Jair Bolsonaro superando pela primeira vez a positiva. "É o presidente desde a redemocratização cuja popularidade caiu mais rapidamente no primeiro mandato", escreve a jornalista, que suplica para que Bolsonaro negocie com o Congresso.

"Há uma quase unanimidade de que a relação dele com o presidente da Câmara deveria ser melhor, e a maioria considera que o presidente poderia ser flexível para que suas propostas passem no Congresso", cobra Miriam.

"O desgaste é natural, mas não é comum que aconteça tão rapidamente, antes ainda de se completar os seis meses. Os estrategistas do governo deveriam pensar mais profundamente, e sem terceirizar a culpa, sobre o que está acontecendo para essa queda ser tão rápida. Há uma relação direta entre popularidade e capacidade de o governante atrair parlamentares para os seus projetos. Quando ela cai, há a lógica centrífuga no presidencialismo de coalizão: os deputados e senadores se afastam (...). A maioria, 70% dos entrevistados, quer que o Brasil permaneça presidencialista, mas o eleitorado, como se sabe, nunca deu ao partido de qualquer governante a maioria das cadeiras no Congresso. Quem ocupa a Presidência precisa conquistar isso negociando a coalizão. E é exatamente o que Bolsonaro não faz", afirma a jornalista.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247