Noblat sobre músico fuzilado com 81 tiros: 'nem uma palavrinha, Moro?'

"E o ministro Sérgio Moro, da Justiça e da Segurança Pública? Nada a dizer sobre a morte na zona norte do Rio do músico Evaldo Rosa dos Santos, fuzilado quando dirigia seu carro? Entende-se que Bolsonaro não tenha comentado. O músico foi executado por soldados do Exército. Mas, Moro? Nem uma palavrinha de solidariedade à família do morto?", questiona o jornalista Ricardo Noblat sobre o silêncio do ministro da Justiça em relação ao crime bárbaro

Noblat sobre músico fuzilado com 81 tiros: 'nem uma palavrinha, Moro?'
Noblat sobre músico fuzilado com 81 tiros: 'nem uma palavrinha, Moro?'

247 - O jornalista Ricardo Noblat cobrou nesta terça-feira, 9, uma declaração do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, sobre a morte do músico negro Evaldo Rosa dos Santos, que foi alvo de 81 tiros de fuzis por militares do Exército no Rio de Janeiro, quando ia de carro com a família para um chá de bebê. 

"E o ministro Sérgio Moro, da Justiça e da Segurança Pública? Nada a dizer sobre a morte na zona norte do Rio do músico Evaldo Rosa dos Santos, fuzilado quando dirigia seu carro? Entende-se que Bolsonaro não tenha comentado. O músico foi executado por soldados do Exército. Mas, Moro? Nem uma palavrinha de solidariedade à família do morto?", questiona Noblat em seu blog.

"Disparar 80 tiros num carro que passava perto de um quartel é uma barbaridade. São coisas como essa que desaconselham o emprego de militares no combate ao crime", acrescenta o jornalista. 

Em artigo para Jornalistas pela Democracia, o jornalista Aquiles Lins avalia que o silêncio dos principais integrantes do governo federal sobre o assunto é uma demonstração de concordância com a atuação do Exército (leia aqui). 

O cientista de dados no Nexo Jornal Gabriel Zanlorenssi fez um gráfico para mostrar o vazio de manifestações do governo sobre o caso.

Confira:

 

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247