“O bolsonarismo vive seu pior momento nas redes sociais ”, diz pesquisador da FGV

Vinícius Wu disse à TV 247 que o núcleo apoiador de Jair Bolsonaro nas redes está isolado em meio ao debate sobre o coronavírus. “A preocupação da sociedade brasileira com a pandemia tem sido um elemento bastante importante no sentido do isolamento desse campo”, explicou. Assista

Vinícius Wu e Jair Bolsonaro
Vinícius Wu e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução | Isac Nóbrega/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O pesquisador da Sala de Democracia Digital da FGV Vinícius Wu conversou com a TV 247 sobre o isolamento de apoiadores de Jair Bolsonaro nas redes sociais em torno do debate sobre o novo coronavírus. Segundo Wu, há um novo bloco dominante surgindo nas redes em favor do isolamento social e das orientações da OMS, deixando de lado os bolsonaristas.

O campo ligado ao Bolsonaro nas redes digitais é responsável por 10% das interações nos debates sobre o coronavírus, em média. Em outros momentos, este grupo já chegou a representar 20%, 30% ou mais, de acordo com o pesquisador. “Em média, nos debates sobre a pandemia, o núcleo duro do bolsonarismo tem ficado com 10% ou 8% das interações nas mídias digitais, no melhor momento que eles tiveram, alcançaram em torno de 14% das interações. Todo o resto se tornou um grande bloco, felizmente, em favor da ciência, em favor da racionalidade do debate público. A preocupação da sociedade brasileira com a pandemia tem sido um elemento bastante importante no sentido do isolamento desse campo negacionista no debate público”.

A ala ligada aos ideais de Jair Bolsonaro nunca esteve isolada desta forma nas redes digitais, disse Wu. “Esse campo mais alinhado à posição do presidente da República, essa posição mais negacionista, nunca esteve tão isolado nos debates públicos nas mídias digitais. O bolsonarismo vive seu pior momento nas mídias digitais desde as eleições de 2018”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email