Por atividade partidária, corregedoria do MP vai monitorar redes sociais de procuradores

A Corregedoria do MPF informou, através de um comunicado que circulou entre procuradores na quinta-feira (15), que suas atividades nas redes sociais passarão a ser monitoradas

O procurador Deltan Dallagnol
O procurador Deltan Dallagnol (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A postura político-partidária de procuradores do Ministério Público Federal (MPF) que vem sendo revelada na série de reportagens Vaza Jato pode começar a ser coibida ao menos no âmbito virtual. Isso porque a Corregedoria do MPF informou, através de um comunicado que circulou entre procuradores na quinta-feira (15), que suas atividades nas redes sociais passarão a ser monitoradas.

O motivo é o aumento do número de reclamações contra a postura dos membros do MPF que a Corregedoria tem recebido. A atividade político-partidária de promotores é proibida pela legislação.

Leia  a íntegra no Portal Forum

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email